Ano do Jubileu chega ao fim – 2 de Outubro

O ano do Jubileu foi marcado por fatos bastante turbulentos no mundo econômico e político. Este ciclo de 49 anos – 7 ciclos de 7 anos – além do significado judaico, é bastante significativo para as movimentações da economia mundial e marca a mudança em tendências e posturas.

Em janeiro deste ano, bolsas do mundo todo atravessaram seu pior início de ano na história. Mais tarde, em 24 de junho, um dia após o Brexit, os mercados registraram sua pior baixa em um dia da história. O mais interessante é que esse dia foi 7 anos, 7 meses e 7 dias desde o final do ciclo sabático em 2008, que registrou a pior queda de Dow Jones da história, com 777 pontos. Observe a repetição do número 7.

No dia 2 de outubro, que marcou o final de mais um ano judaico, de um ano sabático e de um Jubileu, não observamos nenhum fato marcante, como a quebra de bolsa ou qualquer outra catástrofe econômica, mas outros indicadores nos mostram a importância desta data para a economia e a política mundiais. Observemos os principais eventos:

  • Funeral de Shimon Peres em Israel, com a presença de 72 líderes mundiais, inclusive Barack Obama, Bill Clinton, o rei da Espanha, o presidente do México, dentre outros. O ano do jubileu está relacionado a Israel e é no mínimo curioso que nesta data tantos líderes mundiais estejam reunidos em Jerusalém justamente nesta data;
  • Inclusão do Yuan como moeda de reserva;
  • A globalização da Internet, no dia 1 de outubro, com a passagem da governança da rede mundial que era da ICANN, para a ITU, das Nações Unidas;
  • As ações do Deutsche Bank despencaram na última sexta-feira, por motivos similares aos que levaram à crise de 2008.
  • Os anos sabáticos anteriores foram marcados por crises financeiras que ocorreram não necessariamente no último dia do ano, mas no período próximo a esta data.

img_6055

Edição de 30/09/2016 do jornal Valor Econômico.

Talvez muitos estejam expectantes por um grande evento econômico, mas na realidade as crises são graduais como o efeito de uma onda gigante. Quando a crise chegar, ela terá sido precedida por vários eventos anteriores. Não podemos especular sobre o que ocorrerá nos próximos dias ou meses, mas tudo indica que uma nova onda se aproxima.

Mas não é só no mundo econômico e político que eventos marcaram esta data. Notemos alguns eventos marcantes no mundo religioso também:

  • Dia 2 de outubro foi o fim do ano judaico. Dia 11 se comemora o Yom Kippur.
  • No dia 3 de outubro, primeiro dia após o jubileu, foi eleito o novo general superior jesuíta na 36a. Congregação Geral da Curia Jesuíta em Roma. Esse evento é particularmente interessante, porque é de conhecimento público que os jesuítas têm exercido um papel fundamental no estabelecimento da Nova Ordem Mundial, econômica, política e religiosa.

Neste e no próximo ano estão sendo comemorados alguns jubileus, como:

  • O jubileu da misericórdia, pela igreja católica,
  • 50 anos do movimento carismático (elo fundamental entre evangélicos e católicos no movimento ecumênico),
  • 100 anos (2 jubileus) das aparições de Fátima e
  • 500 anos ou 10 jubileus do movimento da Reforma Protestante por Martinho Lutero. Este último evento será comemorado com o documento em comum assinado pela igreja luterana e igreja católica que indicou o fim do protesto de Lutero. Esse documento foi preparado e assinado em 2015.
  • Dia 3 de outubro foi o ano novo judaico, dando início ao ano 5777. Notem aqui, curiosamente, o ano com final 777.

São fatos curiosos que, devidamente contextualizados, demonstram que o mundo está sendo preparado para uma grande união econômica, política e religiosa e que deverá enfrentar crises nessas três áreas também. Não podemos especular sobre o que deverá ocorrer nos próximos dias ou meses, mas analisando os fatos, analistas têm recomendado que todos se preparem para enfrentar uma provável crise global. Financeiramente, o portfólio de investimentos mais indicado é o ouro, a prata, o bitcoin e moedas de pequenos países que não participam do sistema financeiro global. Nos últimos 12 meses esses ativos renderam 200% aos investidores.

Interessante, não?

Mas, qual seria a recomendação de Jesus de como os Seus Filhos  deveriam se preparar para essa crise?

Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.” Mateus 6:19-21

O portfólio divino para enfrentar os tempos trabalhosos que marcarão o final da história deste mundo é abrangente e infalível. Podemos ver um plano completo para nos preparar não apenas para o fim deste planeta, mas para o começo numa Nova Terra.

  • Invista na pregação da Terceira Mensagem Angélica, a justificação pela fé e a purificação do templo da alma, a última mensagem de advertência ao mundo. (Ap 14:9-12).
  • Invista no alívio do sofrimento de seus semelhantes. Vestir, alimentar, acolher, visitar… enfim, amar.
  • Invista no perdão, na confissão, arrependimento e abandono de todas as práticas que desonram a Deus.
  • Invista na purificação física do corpo, na transformação dos hábitos e busca por tudo que traz mais saúde – os 8 remédios de Deus.
  • Invista no preparo para a crise com as reservas de alimentos e outros itens básicos, como foi apresentado no post anterior.
  • Invista no cultivo de alimentos.
  • Invista na busca por um local junto à natureza, por uma vida campestre e que permita trazer a transformação do caráter mais semelhante ao do Criador pela contemplação das Suas obras.

Muitas vezes nos alarmamos com eventos como esses que foram mostrados aqui. Mas o cristão do tempo do fim não olha para a Terra. Ele tem os olhos no Céu, em Jesus como seu Sumo Sacerdote e nos passos dados no Santuário Celestial. Os eventos ocorrem primeiro lá, depois aqui.

Deus está convidando a cada um de Seus para viverem o Yom Kippur, o Grande Dia da Expiação, em que todos devem viver em jejum, exame de coração e abandono completo do pecado. Esse portfólio não se abalará por nenhuma crise bancária. É o melhor investimento. Por seis mil anos esse mundo foi castigado pelas obras do mal, mas somos chamados a nos preparar, porque diante de nós está o milênio sabático, o sétimo milênio, quando entraremos no repouso do Senhor.

Você não quer se preparar? Invista já. Nosso Senhor em breve virá e os dividendos serão eternos.

Por Davidson Deana.

Acompanhe no Facebook

Leave A Response

* Denotes Required Field