Superando os medos da vida no campo (final)

Além dos medos característicos de um ambiente novo, que não estamos acostumados, há alguns medos que ocorrem no campo da nossa mente e que podem ser tão ou mais assustadores do que o medo de sapos ou insetos. É sobre esses medos que gostaria falar aqui e o que aconteceu desde a nossa mudança.

Não adianta. Quanto mais perto do dia da mudança, maior era a expectativa. Como cabeça da família, tenho que reconhecer que dá um frio na barriga. Parecia que um turbilhão de pensamentos tentavam tirar a tranquilidade que o momento exigia.

O medo era simplesmente: “E se não der certo?” É interessante que nessa hora parece que a oração não é ouvida. Na verdade, a ansiedade é tão grande que simplesmente não conseguimos ouvir a voz de Deus. Muito me ajudou naquela hora a lição de que a fé não pode ser sentimental. Fui fortalecido pelas promessas de Deus. Lembrei-me do motivo de nossa decisão e o que nos movia a dar um passo como aquele. Era o Espírito de Deus falando comigo. Foi fundamental para seguir em frente e uma estranha calma superou o medo.

Contudo, logo após a mudança, em meio à empolgação da conquista, medos não esperados surgiam semana após semana, medo após medo. Talvez isso também aconteça com você. Veja como foi.

O silêncio. Durante a fase da desintoxicação do urbanismo, o silêncio é quase horripilante. Hoje não vivo sem ele, mas é um companheiro que não estava acostumado, tenho que reconhecer, especialmente porque vem acompanhado com a sensação de solidão. Felizmente logo descobri que não são sinônimos e o silêncio é um grande amigo e médico da alma. Também aprendemos que a vida campestre está muito mais longe do isolamento social e da solidão do que a vida urbana.

Para nós foi um projeto de família, então não passamos pelo medo comum que muitos enfrentam de a esposa ou os filhos não se adaptarem à nova vida. Ninguém quer viver numa guerra. Na verdade, vão ser necessários ajustes e não podemos achar logo de cara que nossos familiares não estão se adaptando. Mudanças nem sempre são confortáveis, mas sabemos que valem a pena.

Há um medo em especial para os homens: o medo de perder tudo. É importante pensar nisso, sim. Por isso, tudo deve ser feito “com decência e com ordem”, com o planejamento de cada etapa, para evitar prejuízos financeiros. O projeto da vida no campo deve ser cuidadosamente estruturado, como mostramos no vídeo “Passos para o Campo.”

Não nos incomodava muito o que os outros iriam pensar, porque estávamos firmes em nossa decisão, mas sabemos que há um incômodo e, por dizer assim, um medo de dar um passo quando todos estão falando o contrário. É o medo de remar contra a maré. Ser considerado louco, entre outras coisas mais dolorosas, pode ser um medo a ser enfrentado com a certeza de que a decisão está fundamentada em princípios sólidos.

Como vimos, o “frio na barriga” existe e parece ser uma constante na vida cristã. Mas, seguindo o princípio da fé, não da presunção, uma paz sobrenatural traz tranquilidade e segurança.

De todos os medos que vimos aqui, vejo que todos precisam ser considerados e nos ajudam a manter o foco e os objetivos certos, sempre colocando a confiança em Deus e não em nós mesmos. Mas um medo não podemos deixar invadir nossa mente. Acho que esse é o pior. Qual é?

O medo que não podemos ter é o de achar que fomos precipitados, que talvez a decisão tenha sido um erro, ou que talvez tenhamos compreendido mal a voz de Deus. Esse é o medo que nos fará voltar atrás.

Deus é bem claro na ordem de vivermos a vida campestre. Sair das cidades. É um projeto individual, cada um a seu tempo, mas com empenho e urgência que os fatos atuais nos apontam. Contudo, a ordem de Deus jamais é um erro. O caminho é estreito, não há dúvidas, mas é para o alto. Assim, a ordem de Deus é: “Diga ao povo que marche!”

Deus conhece todos os medos de nosso coração. Não precisamos nos esconder deles, mas confiá-los Àquele que nos tornará mais do que vencedores. Nunca nos esqueçamos de que temos um Sumo Sacerdote, um Mestre que sabe e conhece cada dificuldade e pode “compadecer-Se das nossas fraquezas.” Hebreus 4:15.

Nós não estamos sós. Nesse plano celestial de salvação para nossas famílias, o Orientador divino nos mostrará cada passo a ser dado. Deus cuidará de você, como tem cuidado de nós até aqui. Coloque suas preocupações diante do grande Deus. Confie nEle. Você será um vencedor. “Lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós.” 1 Pedro 5:7

Por Davidson F. Deana

Sitiante há 10 anos

 

Acompanhe no Facebook

2 Comments

  • Jaice

    Reply Reply 24 de fevereiro de 2017

    Eu e meu marido nos mudamos para o campo a três semanas, e agora sim estou me deparando com o tamanho real de todos os meus medos. Nos dias que antecederam a mudança também senti esse medo mental. Já houve dias em que tive que parar meus serviços domésticos pelas metades para ir a bíblia recordar todas as promessas “Não temas” (viva os aplicativos de busca de palavras chave), tamanha era minha angústia. Com o silêncio eu me adaptei bem, o que não acostumei ainda foi com alguns pequenos barulhos da natureza quebrando esse silêncio, como as lagartixas que tomam banho de sol no meu telhado, uma folha caindo ou o zumbir de uma abelha. Sem dúvida reler esses posts sobre medos tem ajudado bastante. Obrigada por essa ajuda.

    • Vida Campestre

      Reply Reply 27 de março de 2017

      Olá, Jaice!

      Toda mudança gera medo, desconforto. É normal. Mas continue firme e em breve você estará adaptada. A gente acostuma rápido com coisa boa, acredite!

      Beijos,
      Karina.

Leave A Response

* Denotes Required Field