Frutos, só em Cristo

Permanecei em Mim, e Eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em Mim. João 15:4.

O motivo por que condescendemos descuidosamente com o pecado, é que não vemos a Jesus. Não consideraríamos levemente o pecado, caso apreciássemos o fato de que o pecado magoa nosso Senhor. … A devida estimativa do caráter de Deus nos habilitaria a representá-Lo bem perante o mundo. A aspereza, a rudeza de palavras ou de maneiras, a maledicência, as palavras apaixonadas ou coléricas, não podem existir na alma que contempla a Jesus. Aquele que permanece em Cristo vive numa atmosfera que impede o mal, e não apresenta a mínima desculpa por qualquer coisa dessa espécie. A vida espiritual não se nutre do interior, mas tira sua nutrição de Cristo, como faz a vara da videira. Dependemos de Cristo a cada instante; Ele é nossa fonte de abastecimento. Todas as nossas formas exteriores, orações, jejuns e esmolas, não podem substituir a obra interior do Espírito de Deus no coração humano.

Quando uma pessoa está inteiramente vazia do próprio eu, quando todo falso deus é expulso da alma, o vazio é preenchido com a comunicação do Espírito de Cristo. Essa pessoa possui a fé que purifica a alma de contaminação. … É um ramo da Videira Verdadeira, e produz ricos cachos de fruto para a glória de Deus. Qual é o caráter do fruto produzido? — O fruto do Espírito é “amor”, não ódio; “alegria”, não descontentamento e queixumes; “paz”, não irritação, ansiedade. É “longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio”. Gálatas 5:22, 23. — Obreiros Evangélicos, 287.

Uma vara não deve tomar emprestada sua nutrição de outra. Nossa vida provém da videira-mãe. É unicamente pela união pessoal com Cristo, pela comunhão diária com Ele, comunhão de cada hora, que nos é possível dar os frutos do Espírito Santo. … Nosso crescimento na graça, nossa alegria, nossa utilidade, tudo depende de nossa união com Cristo e do grau de fé que nEle exercemos. Aí está a fonte de nosso poder no mundo.

Por Ellen G. White

Fonte: MM Filhos e Filhas de Deus, 10 de outubro, p. 290.

Acompanhe no Facebook

Leave A Response

* Denotes Required Field