FAQ – Substituto 100% vegetal e saudável para o leite materno

Grazi aos 3, 6, 8, 12, 18 meses e aos 4 anos.
Orgulho dos pais – e do pediatra!

Quando minha filha ainda era lactante, compartilhei aqui a experiência positiva que tivemos em alimentá-la desde recém-nascida com uma fórmula natural à base de leite de amêndoas e água de coco, conforme orientações recebidas por um profissional competente, o nosso pediatra.

Desde então, muitas pessoas têm entrado em contato comigo para tirar dúvidas a respeito da fórmula natural que utilizamos, de como fazer a substituição pela fórmula industrializada e das possíveis reações do bebê. Assim, decidi publicar esta atualização na tentativa de responder as perguntas mais frequentes:

1. Como saber se a fórmula natural está dando certo para o meu bebê?
Procure um pediatra de sua confiança, de preferência que entenda de bebês veganos, para orientá-lo e acompanhar seu filho. Fique atento aos sinais de crescimento. Segundo nosso pediatra, os bebês veganos são, em geral, menores do que os demais durante as primeiras fases de crescimento. Seu crescimento é mais lento, porém, mais prolongado – o que, no final das contas, não afeta em nada, pois pode até mesmo chegar a ultrapassar em tamanho as demais crianças. Mesmo assim, é importante que seu bebê NÃO fique abaixo do peso/crescimento esperado para sua faixa etária. Fique atento também a outros sinais importantes, conforme orientação profissional.

2. Qual a quantidade de fórmula que devo dar ao meu bebê? Devo seguir a mesma indicação das fórmulas industrializadas?
Novamente é importante buscar a orientação de um profissional competente. Cada bebê é diferente. Uns mamam mais, outros menos, por isso é difícil estipular uma quantidade exata. No nosso caso, seguimos esta recomendação: colocar sempre um pouco a mais de leite na mamadeira para o bebê mamar até ficar satisfeito. Ou seja, se sobrou, é porque ele mamou tudo que precisava e está com a barriguinha cheia!

3. É possível fazer a fórmula utilizando uma máquina de leite vegetal?
Não. O leite de amêndoas feito na máquina de leite vegetal não serve como fórmula, pois é mais ralo e as amêndoas são superaquecidas por muito tempo, perdendo muitos nutrientes.

4. Como saber se estou fazendo a fórmula corretamente?
Siga o passo a passo. O resultado final deve ser um leite viscoso, com aspecto bem semelhante ao leite animal, e NÃO e um leite aguado e ralo. O soro não deve separar da gordura. Se isso ocorrer, é porque foi feito com água quente demais.

5. A fórmula natural pode ser congelada?
Não. O processo de congelamento altera sua consistência.

6. Posso alimentar o bebê exclusivamente com a fórmula natural até os seis meses de idade?
Em nosso caso, seguimos a orientação do pediatra de introduzir alimentos sólidos mais cedo. Segundo sua prescrição, aos três meses introduzimos gradualmente as frutas e aos cinco os legumes. A partir dos 6 meses passamos a introduzir cereais, leguminosas e outras castanhas. Oferecemos à nossa filha papinhas 100% vegetais, integrais e naturais, que compilamos em um livro digital e colocamos à sua disposição aqui. Nossa filha foi desmamada aos 18 meses e até hoje, aos 4 anos, segue com uma alimentação vegetariana estrita. Graças ao bom Deus, é muito saudável, forte, ativa e inteligente – orgulho dos pais (e do pediatra)!

Se ainda restou alguma dúvida, sinta-se à vontade para registrá-la nos comentários abaixo.

Por Karina Carnassale Deana
Mãe aprendiz da Graziella – 4 anos.

Acompanhe no Facebook

Leave A Response

* Denotes Required Field