Dicas para comprar uma propriedade rural (parte 2): Como escolher o imóvel?

 Na primeira parte desta série apresentamos dicas para a escolha de uma região. Agora vamos dar
mais um passo na direção da mudança definitiva para o campo. Em alguns casos, a desagradável e infeliz volta do campo para a cidade pode dar-se devido a uma escolha mal feita, por essa razão não se precipite, mas também não seja lento como foi Ló, que acabou perdendo sua esposa em função da demora.

A primeira recomendação apresentada na publicação anterior continua valendo, ou seja, muita oração. Que a nossa prece seja como a de Davi: “Dirige os meus passos nos Teus caminhos, para que as minhas pegadas não vacilem” (Salmo 17:5).

Se possível, evite a intermediação de corretores de imóveis. Geralmente os melhores negócios não chegam até as imobiliárias. Agora que você está na região escolhida e conhece algumas pessoas, já passeou por vários lugares; então é hora de perguntar para os conhecidos e desconhecidos sobre propriedades à venda. Visite muitas, inclusive aquelas cujo preço anunciado é maior do que você pode pagar, pois em uma futura negociação o valor pode caber no seu bolso, mas ainda não é hora de fechar negócio. Mesmo que você se encante com alguma propriedade, não fique ansioso para fazer qualquer proposta, muito menos pagar algum valor como sinal. Lembre-se, se Deus está no comando, o seu imóvel está à sua espera.

Essas visitas devem ser feitas, preferencialmente pela família toda. Além de ser uma ótima atividade para estreitar laços familiares, cada membro pode enxergar aspectos que os outros não viram, e na soma das observações o resultado certamente será melhor do que se apenas um fizesse a visita.

Recomendo que você anote e fotografe o que lhe chamou atenção (e de sua família) em cada propriedade; depois de visitar três ou quatro é possível confundir as informações. Anote o telefone dos contatos (dono, caseiro, vizinho, etc.) e o roteiro de como chegar ao local para um possível retorno, principalmente se
alguém o levou até ali.

Dica especial: Se não foi possível estabelecer uma firme convicção sobre alguma propriedade, então
alugue, em vez de comprar. Aluguel rural, em geral, é muito barato, exceto em regiões turísticas ou propriedades que geram lucro. Alugando você terá oportunidade de avaliar com muito mais segurança se aquele é o imóvel para você se fixar permanentemente, e mesmo sobre a região, se condiz com o que você e
sua família esperavam.

Próxima dica: O que analisar na propriedade?

Até breve!

Por Mauro Carnassale

Sitiante há 8 anos

Acompanhe no Facebook

6 Comments

  • Anônimo

    Reply Reply 5 de abril de 2015

    Mauro,
    Para nós, estão sendo muito úteis esses artigos sobre o que observar antes de comprar uma propriedade rural. Estamos nesse processo, então, lemos com atenção cada dica sua, Mauro, são valiosas. Estávamos orando por orientações assim, e Deus foi, mais uma vez, bondoso, nos atendeu, vc passou a escrever sobre o que precisávamos, pois estávamos sem rumo, sem saber como iniciar uma escolha, como proceder.
    Estávamos bem perdidos quanto a que rumo tomar. Só havia a vontade, a decisão firme de sairmos já da cidade; mas, para onde? o que priorizar?, etc., agora, já temos uma noção de como agir.
    Deus seja louvado. Obrigada,
    Roseli Rolim Polidório

    • Vida Campestre

      Reply Reply 11 de abril de 2015

      Amém. Que o Senhor lhes conceda sabedoria. Orar é o minha maior recomendação.
      Mauro.

  • Anônimo

    Reply Reply 3 de agosto de 2015

    Olá, Mauro, novidade… Estamos na roça, graças a Deus. Ele foi maravilhoso conosco!
    Agradeço todas as dicas e sugestões que você deu aqui no Vida Campestre, foram muuuuito importantes na escolha do sítio.
    Estamos em Capitólio – MG.
    Deus o abençoe.
    Abraço,
    Roseli e Valdomiro Polidoro Rolim.

  • Elender

    Reply Reply 14 de agosto de 2016

    O link para a primeira parte é inválido, está errado…

    • Vida Campestre

      Reply Reply 17 de agosto de 2016

      Olá, Eleander

      Obrigada por avisar! Já resolvemos o problema!

      Até mais!
      Karina.

Leave A Response

* Denotes Required Field