Como é sua vida no campo? (parte 2)

Na primeira parte desta série, compartilhamos com você um questionário que respondemos a uma família interessada em se mudar para o campo. Aqui você vai encontrar mais algumas curiosidades respondidas a outro grupo interessado em conhecer mais sobre nosso estilo de vida atual:

1. Qual foi a sua principal motivação para a tomada de decisão de sair da cidade e ir morar no campo e por quê?
Morávamos em um grande centro urbano e vimos que aquele não era o local ideal para se morar. Não queríamos esperar a aposentadoria para mudar de vida. Já buscávamos na ocasião uma vida saudável, mas descobrimos que para isso não bastava mudar apenas a dieta. Era necessário uma mudança completa de estilo de vida. Portanto, a principal motivação foi viver em todos os aspectos o ideal de Deus para o ser humano. Assim, pedimos a orientação de Deus para obedecer à Sua vontade e viver esse ideal.

2. Qual o impacto da mudança na sua vida e de sua família? (impacto positivo, mas também os desafios da adaptação)
No campo, o maior impacto foi a desintoxicação física e mental. A vida se tornou mais simples, menos consumista, mais tempo para a família e mais sensibilidade para as coisas espirituais. Os desafios estiveram mais ligados à estrutura, como ter um carro adequado, as ferramentas certas, a falta de acesso à tecnologia, mas isso tudo foi pequeno demais perto dos benefícios de uma vida simples e próxima à natureza. Pode até exigir algum sacrifício, mas é muito fácil acostumar com o que é bom!

3. Como é sua rotina diária?
No sítio, acordamos cedo, dedicamos tempo para Deus e para a família, tomamos um desjejum tranquilo e saímos para as atividades da manhã: alimentar os animais, levar nossa filha para brincar ao ar livre e tomar sol, cuidar do jardim e da propriedade, etc. Após o almoço, voltamos às atividades ao ar livre (plantio ou estruturação do sítio) ou domésticas. Ao findar da tarde, nos reunimos para buscar a Deus em família e nos prepararmos para dormir. Ainda precisamos sair alguns dias por mês para cumprir atividades profissionais, mas esperamos que isso se encerre o quanto antes e possamos viver apenas das atividades do sítio.

4. Como é viver afastado do conforto da cidade?
Uma bênção! Não podia existir coisa melhor! Descobrimos que o excesso de conforto urbano é prejudicial à saúde. Boa parte do conforto urbano não nos faz falta porque nossos objetivos mudaram. Temos conforto no sítio também, mas aqui somos levados a simplificar nossa casa, nossos utensílios e nosso vestuário. Os benefícios na saúde foram tão grandes que não sentimos a menor falta de estar perto da farmácia, ou do hospital e de consultórios médicos. Os mercados são distantes, mas descobrimos que comprar em atacado para estocar proporciona muita economia e menor tentação para gastos desnecessários.

5. Que tipo de conforto urbano vocês têm hoje?
Temos Internet banda larga, celular, água quente, energia elétrica, carro e utensílios domésticos essenciais.

6. Como é a vida social de vocês hoje?
Após a vinda para o campo, a vida social se tornou muito mais significativa. Antes recebíamos amigos em casa para apenas passar o tempo com diversões artificiais com alimentos prejudiciais à saúde. Hoje recebemos pessoas que desejam conhecer nosso estilo de vida e estar mais perto da criação de Deus. Nosso círculo de amigos aumentou muito desde que nos mudamos, pois hoje pessoas que nem conhecemos entram em contato conosco com o desejo de nos visitar e nos conhecer.

7. A mudança gerou mais atividade física? Que tipo de atividade física vocês passaram a realizar?
Sem dúvida. Agora pegamos na enxada, caminhamos bastante, cortamos grama, aprendemos a pilotar a roçadeira e cuidamos das culturas.

8. O que vocês fazem para se manterem financeiramente?
Atualmente prestamos serviços de engenharia civil e tradução de forma autônoma.

9. Que tipo de mudança você observou com relação ao consumo de alimento, roupa, calçado, energia e serviços?
Os gastos com o consumo de alimento diminuíram, pois além de comprarmos em atacado, por morarmos longe dos mercados, também produzimos algumas coisas e ganhamos outras de nossos vizinhos. A necessidade de roupas e calçados também diminuiu, pois aqui o vestuário naturalmente é mais simples. Além disso, estamos longe dos constantes apelos sociais para estar na moda. No geral, os gastos totais, incluindo energia elétrica e serviços, diminuíram pela metade.

10. Qual o impacto da mudança sobre a sua saúde e da sua família?
Não temos palavras para expressar a grande melhora na saúde e no convívio familiar. Podemos dizer que hoje somos felizes. Temos condições de praticar os oito remédios de Deus, como também mais tempo para dedicar à família.

11. Se hoje vocês fossem fazer essa mudança, o que fariam diferente?
Teríamos vindo antes, com certeza.

12. Vocês se arrependem de ter feito essa mudança?
Nos arrependemos de não ter vindo antes!

13. Que sugestão vocês dariam para quem deseja viver também de forma mais simples?
A mudança começa onde você está. Decida mudar hoje. Faça planos concretos de mudança, analisando cuidadosamente cada detalhe. Converse e visite pessoas que já realizaram essa mudança. Peça a orientação divina. Estruture-se para sair: visualize uma forma de se tornar autônomo, diminua os gastos (corte as contas desnecessárias), procure mais oportunidades para estar em meio à natureza e a cuidar dela (mexer com a terra, lidar com as ferramentas e assim por diante). Não é preciso ter dinheiro para sair, basta ter disposição e confiança em Deus.

Por Davidson e Karina Deana
Sitiantes há 10 anos

Acompanhe no Facebook

3 Comments

Leave A Response

* Denotes Required Field