Método humano x método divino de disciplinar filhos

Humano: Ignorar o mau comportamento da criança.

Divino: Em vez de ignorar a criança, lide com qualquer comportamento que não seja semelhante ao de Cristo.


Humano: Repetir a instrução (contar 1, 2, 3….)

Divino: Não repita a instrução, certifique-se de que a criança obedeça da primeira vez, mesmo que tenha que ajudá-la. Não permita desobediência em seu lar, até mesmo por parte de outras crianças que estejam visitando, pois eles ensinarão seus filhos.


Humano: Desculpar o pecado (Ele não dormiu bem essa noite, por isso está mal-humorado…)

Divino: Não dê desculpas. Ajude a criança a entender que ações erradas são pecado, e que com a ajuda de Jesus podemos vencer.


Humano: Subornar (Se fizer isso eu te dou um doce…)

Divino: Não suborne. Ao subornar estamos fortalecendo o “eu”. Recompense porque ela é obediente, e não para ser obediente. Recompense por fazer a escolha correta (como uma surpresa, não promessa). Recompensas podem ser: abraços, oração, palavras bondosas, beijos, brinquedos simples (ocasionalmente). Dizer: “O que você fez foi especial porque você deixou Jesus trabalhar em seu coração”.


Humano: Ameaçar (Se fizer isso vai apanhar….)

Divino: A ameaça não motiva. É como o suborno, mas é negativa. Fortalece o “eu”. Trabalhe com o coração, da causa para o efeito.


Humano: Deixar a criança governar o lar.

Divino: Os filhos não governam o lar. Os pais devem governar o lar. Muitos filhos governam o lar desde cedo. Os pais os deixam gritar, dormir na cama dos pais, atrapalhando o casal, etc. Se a criança chorar e fizer birra, ore com ela e faça o que é correto mesmo que tenha que aplicar uma consequência.


Humano: Mandar a criança fazer algo de maneira grosseira.

Divino: Não mande a criança, peça com educação e conquiste a vontade dela.  A vontade é a livre escolha da criança. Em vez de obedecer porque você disse para obedecer, deve obedecer porque escolhe obedecer.

Fonte: Meu Lar, Minha Escola

Photo: Freedigitalimages.com

Acompanhe no Facebook

Leave A Response

* Denotes Required Field