Perfeição agora?

Sede vós perfeitos como
perfeito é o vosso Pai celeste
. Mateus 5:48. 
Quando Deus deu Seu Filho ao mundo, tornou possível a
homens e mulheres serem perfeitos mediante o uso de toda capacidade do seu ser
para glória de Deus. Em Cristo deu-lhes as riquezas de Sua graça, e o
conhecimento de Sua vontade. Ao esvaziarem-se do eu e aprenderem a andar em
humildade, buscando orientação de Deus, os homens estariam capacitados a
cumprir o elevado propósito de Deus para eles. — The Review and Herald, 22
de Abril de 1909.
A perfeição de caráter baseia-se no que Cristo é para
nós. Se confiamos continuamente nos méritos de nosso Salvador, e andamos em
Seus passos, seremos semelhantes a Ele, puros e incontaminados.
Nosso Salvador não requer impossibilidade de pessoa
alguma. Ele não espera de Seus discípulos coisa alguma para cuja realização não
esteja disposto a conceder-lhes graça e força. Não os chamaria a ser perfeitos,
caso não dispusesse de toda perfeição e graça para conceder àqueles a quem conferisse
tão alto e santo privilégio. … 
Nossa obra é esforçar-nos para atingir, em nossa
esfera, a perfeição que Cristo atingiu em todos os aspectos do caráter. Ele é
nosso exemplo. Devemos esforçar-nos para honrar a Deus no caráter. … Importa
sermos de todo dependentes do poder que Ele nos prometeu. —Manuscrito 148,
1902.
Jesus não revelou qualidades, nem exerceu poderes que
os homens não possam possuir mediante a fé nEle. Sua perfeita humanidade é a
que todos os Seus seguidores podem possuir, se forem sujeitos a Deus como Ele o
foi. — O Desejado de Todas as Nações, 664.
Nosso Salvador é um
Salvador para o aperfeiçoamento do homem todo. Não é Deus em relação a parte de
nosso ser, apenas. A graça de Cristo atua no sentido de disciplinar o ser
humano todo, Ele fez todos. A todos remiu Ele. Tornou a mente, a força, o
corpo, assim como o espírito, participantes da natureza divina, e todos são Sua
possessão adquirida. Deve Ele ser servido com toda a mente, coração, intelecto e
força. Então será o Senhor glorificado nos Seus santos, mesmo nas coisas comuns
e temporais, com as quais se acham relacionados. “Santidade ao Senhor”
será a inscrição colocada sobre eles. — The Youth’s Instructor, 14 de
Abril de 1898.
Por Ellen G. White
Fonte: Meditação Matinal A Maravilhosa Graça de Deus, 10 de agosto de 1973.

Acompanhe no Facebook

Leave A Response

* Denotes Required Field