Atitude certa: corpo saudável e vida abundante (parte 3)

No artigo anterior, refletimos sobre a importância de
abastecermos a nossa máquina com o combustível certo, aquele autorizado pelo
Fabricante, para que ela possa ter vida abundante. Vimos também que uma mudança
precisa ocorrer na dieta daqueles que estão habituados a se alimentar de
produtos não naturais ou desequilibrados, como os produtos industrializados,
refinados, transgênicos, gordurosos, açucarados e ricos em sódio.

A transição do combustível não autorizado para o combustível
certo pode parecer um pouco difícil, mas saiba que é bem mais fácil do que se
imagina. Afinal, nosso Fabricante oferece assistência individual e
personalizada 24 horas, 7 dias por semana!

A seguir, você encontrará algumas dicas práticas para tomar a
atitude certa para ter corpo saudável e vida abundante:
1. Atitude certa no
supermercado:

Pode parecer simples demais, mas essa atitude é eficaz: não
comprou – não comeu! Ao entrar no supermercado é importante ter isso em mente e
evitar as alas que estão repletas de combustível não autorizado!
Ir ao supermercado com o estômago satisfeito também ajuda
bastante, pois como fome, tudo parece irresistível!
A atitude certa de evitar o combustível errado e não
comprá-lo deve partir dos pais, os responsáveis pela saúde e educação dos
filhos diante do Fabricante. Economizando nos industrializados, a família poderá
investir mais na ala dos integrais e vegetais sem medo de estourar o orçamento.
O exemplo dos pais começa aqui e aos poucos os filhos vão compreendendo os
benefícios da mudança. Todo começo é difícil, mas o divino Fabricante oferece
Sua ajuda e poder para dominarmos nosso paladar mal habituado. Orar enquanto se
faz compras também é uma excelente ferramenta para obter forças para colocar no
carrinho apenas aquilo que fará nossa máquina funcionar bem, honrando assim o nosso
Fabricante!
2. Atitude certa na
leitura dos ingredientes:

Não importa o que diz o rótulo, o que vale mesmo é a lista
de ingredientes. Muitos rótulos apresentam palavras-chave como “natural” ou
“saudável” para atrair o consumidor desavisado, mas a lista de ingredientes pode
revelar o contrário. Por isso, ler e entender os ingredientes dos produtos que
se pretende adquirir é muito importante para evitar levar para casa produtos
prejudiciais à saúde.
Quanto mais industrializado o produto, maior a lista de
ingredientes e também maior a quantidade de aditivos alimentares. Os produtos
naturais, em geral, possuem poucos ingredientes e nada de aditivos. Já os
artificiais apresentam uma lista enorme de ingredientes com nomes difíceis e
siglas. Por isso, ao ir ao supermercado da próxima vez, leve em mãos uma lista contendo
os principais aditivos e consulte-a ao ler os ingredientes (clique aqui para
baixá-la).
A lista de ingredientes, por lei, é descrita em ordem
decrescente. Isto é, ela começa do ingrediente presente em maior quantidade no
produto para o em menor quantidade. Para não restar dúvida quanto à leitura crítica
de ingredientes, convido-o a analisar a lista de ingredientes abaixo. Trata-se
dos ingredientes de uma gelatina sabor pêssego bem conhecida no mercado e
apresentada como segura para o público infantil:
Ingredientes:
Açúcar, gelatina, sal, vitamina C,
regulador de acidez citrato de sódio, acidulante ácido fumárico, aromatizantes,
edulcorantes artificiais: aspartame, ciclamato de sódio, acesulfame de potássio
e sacarina sódica e corantes artificiais: tartrazina e amarelo crepúsculo.
Baixo valor energético. Contém
fenilalanina.
NÃO CONTÉM GLÚTEN.
De acordo com a lista de ingredientes acima, respondamos as
perguntas abaixo:
1. Qual é o ingrediente presente em maior quantidade neste
produto?
A base desse produto é o açúcar refinado, pois esse é o
ingrediente presente em maior quantidade. Os malefícios do açúcar à saúde são
inúmeros. Se você ainda tem dúvidas disso, clique aqui e aqui.
2. O segundo ingrediente presente em maior quantidade neste
produto é a gelatina. Do que ela é composta?
A gelatina é composta por colágeno animal, em geral suíno. Clique aqui para saber mais a respeito.
3. O que seriam edulcorantes artificiais?
Edulcorantes artificias são substâncias que conferem sabor doce aos alimentos. Entre os mais conhecidos estão o aspartame, a sacarina e o ciclamato. O uso da sacarina é proibido no Canadá e do ciclamato nos Estados Unidos, pois segundo testes realizados em camundongos essas substâncias podem estar relacionadas ao câncer de bexiga. Já o aspartame pode estar relacionado a males como tumores, perda de memória e mudanças de humor.

  

No entanto, ainda não existem comprovações científicas sobre os malefícios dos edulcorantes aritificais, por isso, seu uso não foi banido. Estudos realizados, porém, determinaram que deve haver um limite para a ingestão diária dessas substâncias para evitar malefícios à saúde. Assim, a ANVISA passou a estabelecer doses diárias para a ingestão dessas substâncias. Cá pra nós, se essas substâncias fossem tão saudáveis assim, será que precisaríamos ter tanto cuidado em seu uso? 
4. De acordo com a lista de aditivos alimentares disponível
para download neste artigo, qual a classificação dos corantes tartrazina e
amarelo crepúsculo?
Ambos estão classificados na lista dos aditivos que devem
ser evitados. De acordo com as informações apresentadas no site oficial da
ANVISA, a tartrazina é responsável por desencadear reações alérgicas como asma,
bronquite, rinite, náusea, urticária e dor de cabeça. Já em outra fonte,
encontramos que o amarelo crepúsculo, por possivelmente desencadear hiperatividade
em crianças, seu uso foi banido na Áustria, Finlândia e Noruega.
Mesmo assim, pode ser que você questione: “Mas esses
ingredientes estão no final na lista, indicando que a quantidade presente no
produto é pequena. Será que um pouquinho faz mal?” Para responder esse
questionamento, convido-o a fazer o seguinte paralelo: Você ofereceria a seu
filho um bolo contendo só um pouquinho de veneno? A quantidade de veneno é
pequena e insuficiente para apresentar grandes prejuízos a curto prazo. Mesmo
assim você daria? Acho que não! O mesmo se dá com produtos como o descrito
acima. Os prejuízos à saúde podem não ser notados a curto prazo, mas ao longo
dos meses e anos de consumo, os resultados negativos aparecerão (talvez, por
isso, muitas vezes não sejam associados à verdadeira raiz).
5. Após essa rápida análise, você acredita que esse produto
seja seguro para a saúde de sua família?

Agora analisemos os ingredientes da versão realmente saudável deste produto, a
gelatina ágar-ágar:
Ingrediente:
Ágar-ágar.
Mas o que seria ágar-ágar?
Ágar-ágar é uma substância 100% natural e saudável extraída
de algas vermelhas. De acordo com as fontes consultadas (clique aqui e aqui), seu
consumo frequente ajuda a regular o funcionamento do intestino por conta da grande
quantidade de fibras solúveis presentes em sua composição. Além disso, contém
baixíssimo teor calórico e elevado teor vitamínico (A, B1, B2, C e D).

Que diferença, não? Vale a pena investir nessa troca! Clique aqui para saber como preparar uma deliciosa gelatina com ágar-ágar.

Para leitura adicional sobre esse tópico, recomendo os seguintes artigos:

3. Atitude certa à
mesa:

Toda mudança apresenta seus desafios, ainda mais para quem
tem filhos pequenos ou adolescentes acostumados a consumir “combustível
errado”. Mesmo assim, é importante que os pais ou cuidadores não desistam do
propósito de ensiná-los a cuidar bem de sua “máquina”. Para enfrentar esse
processo com sucesso, é preciso, acima de tudo, da ajuda e do poder que o nosso
Deus e Criador está disposto a nos oferecer. Munidos de Sua ajuda, seremos
capazes de partir para a ação. Algumas dicas para enfrentar esse desafio são:
  • Dar o exemplo com satisfação;
  • Evitar brigas e clima tenso na hora da refeição;
  • Conscientizar os filhos a comer o que os pais oferecem, pois
    zelam por seu bem-estar;
  • Ser firme e paciente;
  • Aplicar o método do “forninho” quando necessário (clique aqui para saber o que é isso);
  • Respeitar os intervalos das refeições não oferecendo nada
    para comer ou beber entre elas, com exceção de água pura;
  • Envolver os filhos no preparo dos alimentos.

Para mais dicas de como
ajudar os filhos nessa mudança, clique aqui.

A escolha do “combustível certo” sem dúvida é fundamental para o bom funcionamento de “nossa máquina”, mas os cuidados com o nosso corpo não param por aí. Como toda máquina, há outros aspectos que precisam ser considerados também. Nos próximos artigos aprenderemos juntos sobre outros cuidados necessários para ter corpo saudável e vida abundante. Não perca!

Acompanhe no Facebook

Leave A Response

* Denotes Required Field