Atitude certa: corpo saudável e vida abundante (parte 2)

 

No primeiro capítulo do primeiro livro do grande Manual, a
Bíblia, está descrito o melhor alimento para manter nossa máquina na melhor condição possível: “E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento” (Gênesis 1:29). O divino Fabricante escolheu para a
nossa alimentação tudo aquilo que Ele mesmo criou no jardim do Éden para o sustento
do homem. Esse é o combustível indicado pelo Fabricante. A gasolina mais pura para garantir o melhor desempenho de nossa máquina!

A pergunta é: Temos abastecido nossa máquina com o combustível certo?

Fonte: PROTESTE
Com a modernidade e a correria da vida, acabamos achando
mais prático abrir um pacote de biscoito do que descascar um kiwi, por exemplo. Sentimos a
necessidade de economizar tempo na cozinha para poder cumprir outros afazeres
e, assim, abastecemos a nossa dispensa com comidas prontas, os industrializados,
que nada mais são do que alimentos não naturais, isto é, combustível não
autorizado! Isso pode ocorrer na dispensa de qualquer um, até mesmo dos que buscam uma alimentação livre de produtos de origem animal. Há industrializados para todos os gostos!
O tempo economizado na cozinha é ilusório. Afinal, ao abastecermos
nossa máquina com o combustível errado, acabamos desperdiçando o tempo
economizado na cozinha sentados na ante-sala do consultório médico ou de molho
na cama!
A praticidade dos industrializados no final das contas cobra
bem caro. No fundo de nossa consciência sabemos que tudo que vem embalado,
enlatado, empacotado, com cores berrantes, sabores e cheiros exagerados
não deve fazer bem. Mas será que sabemos o quão prejudicial realmente são?
Os aditivos alimentares, que compõem a maioria esmagadora
dos industrializados (especialmente os destinados ao público infantil), são
responsáveis por desencadear no corpo humano várias enfermidades sérias, como
alergias (rinite, bronquite, asma, hipersensibilidade alimentar, etc.), impulsividade, hiperatividade,
déficit de atenção, alteração na produção de espermatozóides, anemia e câncer.
Com o aumento do consumo desse tipo de alimento, essas enfermidades passaram a
ser comuns em nosso meio (quem não conhece alguém que sofre pelo menos de uma dessas
doenças?), mas de maneira alguma são normais do ponto de vista divino.
Segundo os profissionais da saúde, o sistema urinário e
digestório infantil ainda não estão preparados para suportar a carga de aditivos
que os industrializados contêm. Mas ouso dizer aqui que, segundo o nosso
Fabricante, nem os dos adultos estão! Os resultados na saúde geral da população
moderna pode comprovar isso.Além dos industrializados, podemos incluir também na lista de combustíveis errados os produtos transgênicos, refinados, gordurosos, açucarados e ricos em sódio – responsáveis por outra gama de enfermidades sérias, como hipertensão, diabetes, obesidade, enfermidades do trato digestório (azia, úlcera, intestino lento, gazes, refluxo, etc.), impurezas da pele (acne) e inflamações em geral.
Diante disso, uma mudança de atitude precisa ocorrer em nossa cozinha, se desejamos que nossa máquina funcione como originalmente planejado. Se você e sua família estão habituados a ingerir combustível errado, saiba que o grande Fabricante
pode e quer ajudá-los a transformar seu paladar e a corrigir sua dieta.
No próximo artigo, compartilharemos com você algumas dicas
práticas e importantes para fazer essa transição e começar a abastecer sua máquina com o
combustível autorizado. Não perca!Para leitura adicional sobre combustíveis não autorizados para nossa máquina, consulte os seguintes artigos:

Por Karina Carnassale Deana – Saúde Total

Acompanhe no Facebook

Leave A Response

* Denotes Required Field