Afinal, quando Jesus nasceu?

Historicamente,
o ano do nascimento de Jesus é 4 a.C. Mas, se Ele não nasceu em 25 de dezembro,
em que época aproximadamente teria nascido? 

Analisemos algumas evidências:

O período de
trabalho de Zacarias
: Em Lucas 1:5 está escrito que Zacarias, pai de João Batista
era membro da ordem sacerdotal de Abias. Em Crônicas descobrimos que havia uma
escala para os serviços dos sacerdotes e sobre o seu funcionamento. Por ocasião
das festas principais, os sacerdotes eram chamados a também cumprir alguns
serviços (Deuteronômio 16.16). Pode-se concluir que Zacarias permaneceu em
serviço até pelo menos ao final da 10ª semana do ano judaico, servindo até após
a festa de Pentecostes.
João Batista: Conforme está registrado em Lucas
1.23-24, Zacarias retornou para casa logo após o serviço e João
Batista foi concebido um pouco depois, provavelmente na última metade do mês de
Sivan (maio/junho).
Quando Jesus
foi concebido:
Os registros de Lucas
1:26-27 e Lucas 1:36 informam que Maria concebeu a Jesus no sexto mês da gravidez
de Isabel (mãe de João Batista), no
final do mês de Kislev (novembro/dezembro). Esse período coincide com a Festa das Luzes, ou Hanukkah, festa
instituída na segunda revolta dos macabeus, na rededicação do templo. Jesus, a
Luz do Mundo, foi concebido no período da festa das luzes. Seria coincidência?
Nascimento de
João Batista:
Iniciando a contagem das 39 ou 40 semanas
da gestação humana a partir do terceiro sábado de Sivan, o nascimento de João
Batista deve ter ocorrido no período da Páscoa, no mês de Nisan. A observação
importante é que os judeus aguardam o retorno de Elias, conforme a profecia de
Malaquias 4:5, por ocasião dessa festa. Conforme Jesus falou, João Batista era
o Elias esperado.
A experiência
dos pastores nas colinas de Belém
: O registro de Lucas 2:8 afirma que pastores estavam
nos campos cuidando de suas ovelhas. (Nota: ao receberem a notícia do
nascimento de Jesus, estavam no campo, não nas cidades). Dezembro não seria
apropriado para isso, devido ao inverno no hemisfério norte. Certo comentário
no Talmude explica que os rebanhos costumeiramente ficavam ao ar livre no mês
de março e posteriormente eram recolhidos entre outubro e novembro. Essa
passagem, portanto, limita o nascimento de Jesus ao período entre o final da primavera
e o início do outono no hemisfério norte.
O nascimento de Jesus – Emanuel: Acrescentando-se os nove meses à concepção de Jesus ou seis
meses do nascimento de João Batista, o nascimento de Cristo deve ter ocorrido
na segunda metade do mês de Tishri, entre setembro e outubro, no período da
festa dos tabernáculos. Diz o profeta: “Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um Filho, e chamará o Seu nome
Emanuel.” Isaías
7:14. Emanuel significa “Deus conosco” e a palavra “tabernáculo” significa
habitar, morar.
Vemos
que todas as festas judaicas e os rituais do santuário apontavam para Cristo. A
Páscoa, simbolizando sua morte. Pães ázimos, o corpo de Cristo sem pecado – o
dia em que esteve no túmulo. As Primícias, sua ressurreição. Essa era a única
festa que não era considerada como sábado cerimonial (Por que o mundo cristão
deseja usar essa festa – a ressurreição de Cristo – para a substituição do
sábado bíblico de Êxodo 20:8?). O Pentecostes, o início do sacerdócio no lugar
Santo no verdadeiro Santuário que está no Céu, como nosso único Intercessor, e
ao final dos 2.300 anos de Daniel 8:14, desde 22 de outubro de 1844, ministra
como nosso Sumo Sacerdote e Intercessor no Lugar Santíssimo, onde está preste a
finalizar a Sua obra de purificação do Santuário celestial – o Dia Antitípico
da Expiação. Esse período foi anunciado em alta voz, conforme a festa das
Trombetas, com o anúncio da primeira e segunda mensagens angélicas de Apocalipse
14.

Ao
mesmo tempo que ocorre a purificação do Santuário no Céu, deve ocorrer a nossa
purificação, ou seja, devem ser apagados os pecados em nossa vida para que
consequentemente sejam apagados dos livros do Céu, mediante os méritos de
Cristo. Essa é a terceira mensagem angélica, a justiça pela fé em Jesus, para
aqueles que possuem a fé de Jesus.

“E dará à luz um filho e chamarás o seu nome
JESUS; porque Ele salvará o Seu povo dos seus pecados.” Mateus 1:21.

Essa
é a obra de Cristo. Salvar do pecado todo aquele que desejar e aceitar os Seus
méritos, a Sua intermediação e que permitam ser purificados por Ele.
Está
próximo o dia em que essa obra será finalizada, ou seja, a finalização da
história do pecado no meio do povo de Deus, o fim do ministério de Cristo no
Santuário celestial. Finalmente, falta a festa dos Tabernáculos, ou festa das
Barracas. Sabe o que representa? O reencontro de Cristo com os milhões que O
aceitaram em todos os séculos, quando vier para buscá-los:

“Não se turbe o vosso coração; credes em
Deus, crede também em Mim. Na casa de Meu Pai há muitas moradas; se não fosse
assim, Eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando Eu for, e vos
preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para Mim mesmo, para que onde Eu
estiver estejais vós também.” João 14:1-3.
Não gostaria de se preparar para essa grande
festa? Eu quero estar lá.

Acompanhe no Facebook

Leave A Response

* Denotes Required Field