A arca de Noé fedia?

Não foram poucas as vezes que ouvi referências à arca de Noé
como um lugar de salvação, porém imundo e fétido. Esse discurso geralmente tem
sido usado para justificar ou ilustrar que a Igreja de Deus, a despeito de ser
um lugar de salvação, os defeitos e problemas nela existentes são admissíveis e
a acompanharão até o fim. Teria essa afirmação fundamento escriturística?
Antes de mais nada quero dizer que sou membro da Igreja
Adventista do Sétimo Dia e creio ser essa a única igreja verdadeira, bem como a
última da história deste mundo. “Débil e defeituosa
como possa ser, é ela [a IASD] o objeto de Seu supremo cuidado”[i].
Por ser assim a Igreja de Deus deveríamos, por essa razão, adotar uma postura
cômoda e conivente diante do mundanismo que introduziu-se em nosso meio?
Provavelmente erraremos ao tentarmos explicar as obras de
Deus baseados na lógica humana. Como Sansão sozinho e desarmado derrotou um
exército inimigo? Como o profeta Jonas passou três dias e três noites dentro de
um peixe? Como cinco pães e dois peixinhos alimentaram uma multidão?  “Porque a
sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus”[ii].
Voltemos à arca. Considerando que a arca foi um projeto
divino[iii],
estaria correto afirmar que ali era um lugar fétido?
Calculando o peso das fezes somente do casal de elefantes e
dos sete pares de bovinos, caprinos e ovinos durante 378 dias de confinamento, chegamos
a 210 toneladas de fezes e milhares de litros de urina aproximadamente[iv].
Somando-se todos os animais e pessoas ali, teria sido realmente um caos do
ponto de vista humano, mas Deus tem poder para resolver esse e qualquer outro
problema, inclusive o problema do mundanismo da igreja, caso nos humilhemos
diante dEle e confesssemos os nossos pecados[v].
“Deus tem mil soluções onde não vemos nenhuma”[vi].
Querido leitor, você acredita que Deus tem poder para fazer
com que todos os animais entrassem em hibernação, ou que comessem pouquíssimo e
não excretassem nada? Ou que o alimento introduzindo por Noé na arca
multiplicou-se como o azeite e a farinha da viúva? E ainda que o projeto divino
teria previsto um sistema de ventilação e saneamento adequados? Seja qual foi a
solução, pois isso não está revelado, Deus e não o homem estava no comando dessa
operação, e Deus tem princípios os quais Ele não quebra. A abordagem deste
artigo é sobre tais princípios, não especular sobre o “mal cheiro da arca” ou
valer-se dessa imaginação humana para baixar o padrão requerido por Deus
ou minorar a crise religiosa que enfrentamos.
Vejamos alguns textos inspirados que nos revelam os
princípios divinos sobre higiene, os quais dispensam comentários (sendo
possível leiam o contexto):
“E entre as tuas armas terás uma pá; e será que, quando
estiveres assentado, fora, então com ela cavarás e, virando-te, cobrirás o que
defecaste”[vii].
“Observai por vós mesmos se tudo em
vosso quarto está impecavelmente limpo e em ordem, de modo que coisa alguma aí
seja ofensiva a Deus, mas que, ao passarem os santos anjos por vosso aposento,
sejam atraídos a se demorar, atraídos pelo asseio e a ordem que aí reinam”[viii].
“Ordem e limpeza é a lei do Céu; e
para estar em harmonia com o arranjo divino, é nosso dever ser asseados e ter
bom gosto”[ix].
“Foram dadas orientações especiais às
tribos dos filhos de Israel para que, ao redor de suas tendas, tudo estivesse
limpo e em ordem para que o anjo do Senhor não passasse pelo meio do
acampamento e visse desasseio. Seria o Senhor tão exigente que notasse essas
coisas? Seria; pois é declarado que, vendo Ele a imundícia do povo não poderia
sair com seus exércitos a batalhar contra os inimigos deles. De igual modo
todas as nossas ações são notadas por Deus. Aquele Deus que requeria que os
filhos de Israel crescessem com hábitos de limpeza, não sancionará qualquer
impureza no lar hoje”[x].
“Com respeito ao asseio, Deus não
requer menos de Seu povo hoje, do que em relação ao Israel antigo. A
negligência da limpeza induz a doença”[xi].
“Exige Deus pureza de coração e
higiene pessoal agora, assim como o fazia ao dar instruções especiais aos
filhos de Israel. Se Deus foi tão minucioso ao prescrever limpeza para aqueles
que jornadeavam pelo deserto, que se achavam ao ar livre quase todo o tempo,
não requer Ele menos de nós, que vivemos em casas forradas, onde as impurezas
são mais observadas e têm influência mais insalubre”[xii].
“A ordem é a primeira lei do Céu, e o
Senhor deseja que Seu povo ofereça em seus lares uma imagem da ordem e harmonia
que predomina nas cortes celestiais. A verdade nunca coloca seus delicados pés
no caminho da imundícia ou impureza”[xiii].
“O Criador dos céus e da Terra
considerou a limpeza tão importante que disse: ‘Lavem eles os seus
vestidos.” Êxo. 19:10”[xiv].
Podemos extrair desses poucos textos o princípio divino de
asseio e ordem. Não seria rebaixar o padrão divino ao humano, pensar que Deus
esqueceu-se desse importante aspecto ao projetar a arca?
Por outro lado, o que Deus espera de Sua Igreja hoje? Seria
sábio admitir que o mundanismo adentrar os portais da Casa de Deus ou mesmo a
vida de cada crente é tão inevitável como seria o suposto mau cheiro na arca? A
quem agradaria essa ideia?
“Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação
santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou
das trevas para a sua maravilhosa luz”[xv].
“Para a apresentar a si
mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível”[xvi].
“A limpeza e a purificação certamente
passarão por todas as igrejas de nossa terra que têm tido grandes oportunidades
e privilégios e por eles têm passado sem lhes dar atenção. Não é de mais
evidências que carecem. Necessitam de corações puros e santificados para
ajuntar e reter toda luz que Deus tem dado, e então andarão nessa luz”[xvii].
“A igreja de Cristo deve ser limpa, e
pura e santa para Deus. Seus membros estão perante o mundo como representantes
do governo celeste”[xviii].
Há centenas de textos como estes, que não dão espaço para
admitirmos um baixo padrão moral na Igreja de Deus. Uma igreja “fedida” não
honrará ao nosso Deus, mas ao inimigo das almas.
Posto que o joio deva crescer com o trigo até a ceifa, “mesmo o joio encerra uma lição. É ele cultura de Satanás e,
deixado à vontade, estraga o trigo por seu crescimento viçoso”[xix].
Não devemos arrancar o joio, mas também não devemos incentivá-lo a crescer. “Não precisamos ser joio nós mesmos, só porque não haverá
apenas trigo na colheita”[xx].
“Conquanto em nossas igrejas, que
pretendem crer em verdades avançadas, haja pessoas em faltas e erros, como o
joio em meio do trigo, Deus é longânimo e paciente. Ele reprova e adverte o
errante, mas não destrói os que são vagarosos em
aprender a lição que lhes quer ensinar; Ele não desarraiga o joio do meio do
trigo. O joio e o trigo devem crescer juntos até a ceifa; quando o trigo chegar
ao seu completo desenvolvimento, e pelo caráter que apresentar quando
amadurecido, ele se distinguirá perfeitamente do joio”[xxi].
Notemos que não há
conivência com o erro, há reprovação e advertência ao errante, sim, com amor e
sincero desejo de que chegue ao arrependimento. Aquele, portanto, que ama a
verdade, ama o transgressor; mas aborrece o pecado e deve atender à ordem: “Clama em alta voz, não te detenhas, levanta a tua voz como a
trombeta e anuncia ao meu povo a sua transgressão, e à casa de Jacó os seus pecados”[xxii].
Ao passo que não podemos ser descorteses ou acusadores de nossos irmãos, também
não podemos ignorar e nos acomodarmos ao mundanismo que se avoluma em nossa
Igreja a cada dia que passa.
Diante disso, pelas nossas próprias escolhas definiremos o
que seremos, se joio ou trigo. Não podemos, nem devemos classificar nossos
irmãos como sendo um ou outro, pois somente Deus conhece o coração de cada um,
mas devemos esquadrinhar nosso próprio coração, suplicando iluminação ao Santo
Espírito.
Como resultado da pregação do terceiro anjo “desenvolver-se-ão dois partidos. O trigo e o joio crescerão
juntos para a ceifa”[xxiii]. Não há
como deixar de pertencer a um desses dois partidos. O partido joio que não se
importa com uma igreja cheirando mal e contribui para isso com suas obras, e o
partido trigo que zela pela pureza da igreja de Deus e vive a verdade presente,
no poder do Espírito. Cada um deve decidir a qual partido pertencer, porque
tentar ficar neutro é a pior situação, conforme lemos em Testemunhos para a Igreja, vol. 3, capítulo 27 à páinga 281: “Indiferença e neutralidade numa crise religiosa são
consideradas por Deus como um crime grave e igual ao pior tipo de hostilidade
contra Deus”. “Estamos agora no tempo da sacudidura”[xxiv],
em breve todos estarão irreversivelmene selados, o trigo  com o selo de Deus e os demais com o
selo da besta[xxv].
Querido leitor, desejo
e oro para que eu e você escolhamos ser e permanecer trigo. “Tudo depende da reta ação da vontade”[xxvi].
Há poder em Cristo para transformar o nosso coração e nos matermos fiéis até o
fim, se nos submetermos incondicionalmente à Sua vontade[xxvii].
E como trigo devemos amar a todos os nossos irmãos, joio ou trigo, pois no
íntimo não sabemos qual é qual. E sendo trigo (que Deus nos conceda essa
graça), posso assegurar pela Palavra Inspirada, a melhor forma de pregar a
verdade é vivendo-a em família. “Uma família bem
ordenada, bem disciplinada, fala mais em favor do cristianismo do que todos os
sermões que se possam pregar”[xxviii].
Que pela graça de
Cristo e no poder do Espírito cada um de nós seja chamado “reparador das roturas, e restaurador de veredas para morar”[xxix].
“Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia”[xxx].
[i] A Igreja
Triunfante
, p. 63
[ii] 1 Coríntios 3:19
[iii] Genesis 6:15 e 16
[v] 2 Crônicas 7:14
[vi] Testemunhos
para a Igreja
, vol. VII, p.**
[vii] Deuteronômio 23:13
[viii] Conselhos
sobre Educação
, p.157
[ix] O Lar
Adventista
, p.254
[x] Conselhos
sobre Educação
, p.156
[xi] Conselhos
sobre Saúde
, p.63
[xii] Conselhos
sobre Saúde
, p.82
[xiii] Conselhos
sobre Saúde
, p.101
[xiv] História da
Redenção
, p.138
[xv] 1 Pedro 2:9
[xvi]Efésios 5:27
[xvii] Testemunhos
para Ministros
, p. 414
[xviii] MM 1956, Filhos
e Filhas de Deus
, 15 de setembro, p.265
[xix] Conselhos
sobre Educação
, p.256
[xx] MM 2002, Cristo
Triunfante
, 04 de fevereiro, p.41
[xxi] A Igreja
Remanescente
, p.42
[xxii] Isaías 58:1
[xxiii] Eventos
Finais
, p.172
[xxiv] MM 1979, Maranata
o Senhor Vem
, 13 de fevereiro, p.50
[xxv] Apocalipse 22:11
[xxvi] Caminho a
Cristo
, p.47
[xxvii] Mateus 16:4
[xxviii] O Lar
Adventista
, p.32
[xxix] Isaías 58:12
[xxx] 1 Coríntios
10:12

Acompanhe no Facebook

3 Comments

  • Anônimo

    Reply Reply 29 de novembro de 2013

    ola prezado irmão Mauro sou Edmilson moro em salvador. fico muito feliz pelas maravilhosas postagem que a vida campestre nos proporciona.eu e minha esposa temos esse sonho de ir para campo estar mas perto de Deus e ter uma qualidade de vida melhor.temos serteza que nao foi coincidêncie sim providencia de Deus que colocou voces em nosso caminho,se for da vontade de Deus ele ainda vai fazer que nos encontramosum forte abraco e feliz sabado para e famiia.

    • Vida Campestre

      Reply Reply 30 de novembro de 2013

      Olá, Edimilson
      Ficamos muito contentes em saber que você tem gostado de nossas postagens. Mais felizes ainda ficamos com o desejo que você tem de ir com sua famíia para o campo. Que o Senhor os conduza para o seu lar campestre em breve! Um abraço!

Leave A Response

* Denotes Required Field