Alegrando o coração do Pai

“Pois se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos
filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que Lho
pedirem?” (Lucas 11:13)
Aqui em casa meu esposo e eu costumamos dizer que nossa
filha é nossa professorinha. Através dela temos aprendido muitas lições, inclusive compreendido um pouco melhor o infinito amor de Deus por nós.
Recentemente, diante dos desafios que enfrentamos ao educar
nossa filha, veio-me à mente que esses mesmos desafios e dificuldades ocorrem
também, em geral de forma muito mais intensa e profunda, em minha relação
pessoal com o Pai celestial. A grande diferença é que o Pai celestial nunca se
irrita, se estressa ou age sem que a Sua misericórdia e justiça estejam em
perfeito equilíbrio. Que bênção ter um Pai assim!
No entanto, apesar de sermos pais imperfeitos, amamos nossos
filhos de forma incondicional. Mesmo quando eles agem de forma rebelde e
desobediente procuramos satisfazer-lhes às necessidades com o melhor ao nosso
alcance e nos esforçamos ao máximo para que não lhes falte nada que seja para o
seu próprio bem. Fazemos tudo isso com amor, mesmo estando o coração apertado e
triste por sua reação negativa. Às vezes até chegamos a chorar de tristeza por
causa de certas atitudes dos filhos, mas nem por isso deixamos de amá-los, prover-lhes
ou buscar sua felicidade. Nosso coração dói ainda mais quando é preciso corrigi-los
na tentativa de impedir que permaneçam no erro. Como ansiamos nesses momentos
que os filhos entendam que a desobediência sempre gera infelicidade! 
O mesmo se
dá com o Pai celestial. Mesmo diante de nossa rebeldia e desobediência, movido
de grande amor por nós, satisfaz-nos às necessidades e cuida de nosso
bem-estar. Certamente, Seu coração também deve doer de tristeza diante de
nossas decisões contrárias a Sua vontade e da necessidade de corrigir-nos, mas nem por isso deixa de cuidar
com amor de todos nós.
Por outro lado, quando os filhos são obedientes e prontos a
cooperar, que alegria não inunda o nosso coração! Parece que vai explodir de
tanta felicidade! Continuamos satisfazendo-lhes as necessidades e anseios como
antes, mas parece que agora com muito mais prazer, buscando atender até mesmo
os pequenos desejos. Ansiamos fazer ainda melhor por eles. Nosso coração
transborda de regozijo ao ver que confiam em nossas orientações e buscam praticá-las.
Emocionamo-nos diante do desejo sincero que demonstram em nos agradar. 
Com o
Pai celestial não é diferente. Seu coração também transborda de alegria diante
de nossa decisão de atender Suas orientações e de obedecer Suas leis movidos
por profundo amor e gratidão por tudo que Ele tem feito em nosso favor. Ele
continua atendendo nossas necessidades como antes, mas imagino com que
felicidade não faz isso agora! Como bom Pai que é, anseia fazer ainda mais e
melhor, atendendo até mesmo os pequenos desejos do nosso coração (Salmo 37:4).
Assim como meu coração anseia que minha filha decida ser
sempre obediente para seu próprio bem e felicidade, imagino que o Pai celestial
também anseie profundamente que decidamos ser filhos obedientes às Suas
orientações, que foram criadas para a nossa felicidade aqui nesta Terra e
preparo para a vida futura. Assim como meu coração transborda de felicidade ao
ver minha filha agindo assim, também quero agir da mesma forma com o terno Pai
celestial e fazer com que Seu coração palpite ainda mais forte em amor. Sei que
nem minha filha nem eu somos capazes de prestar esse tipo de obediência por nós
mesmas, pois em nós não há força alguma para tanto, mas até para isso o bom Pai
fez provisão. Ele oferece o Seu poder e o auxílio de Seu Santo Espírito a todo
aquele que desejar e buscar seguir o caminho indicado por Ele.
Eu quero inundar de felicidade o coração do meu Pai celestial.
E você?
Por Karina Carnassale Deana
Mãe aprendiz da Graziella, 2 anos.

Acompanhe no Facebook

Leave A Response

* Denotes Required Field