Como ter filhos bem educados? (parte 1)

Ter um filho obediente e bem comportado é o sonho de todo futuro pai e mãe. Ainda sem filhos, a maioria dos casais parece saber exatamente o que fazer para corrigir os filhos indisciplinados dos amigos e ao presenciarem uma cena típica de manha fazem voto de que com eles não será daquele jeito. “É tão óbvio! Como é que eles não enxergam o que devem fazer?”

No entanto, ao se tornarem pais, a teoria parece funcionar pouco na prática. Os pais recorrem a alguns métodos conhecidos para disciplinar, mas parece surtir pouco resultado para tanto esforço. O que poderia estar saindo errado? 

Há muitos fatores que contribuem para a boa educação de um filho. Adotar um método eficiente de disciplinar é um deles, mas não o único. Além de muita oração e busca por orientação divina, há outros fatores que precisam ser também considerados e implantados na vida familiar para alcançar o nobre objetivo de educar bem.

Contudo, na questão de educação de filhos, sou ainda mera aprendiz. Este espaço seria infinitamente pequeno para abordar todos os fatores necessários para isso. Porém, gostaria de compartilhar com você seis aspectos que tenho aprendido nessa caminhada e que considerado de grande importância para alcançar o sucesso na missão de educar para Deus. Nesta primeira parte, compartilho os primeiros três:

1. Guardando as avenidas da alma: 

“Temos uma obra a fazer a fim de resistirmos à tentação. Aqueles que não querem ser presa dos ardis de Satanás devem bem guardar as entradas da alma; devem evitar ler, ver, ou ouvir aquilo que sugira pensamentos impuros”  (Ellen White, Mente, Caráter e Personalidade, v. 1, p. 107).

“Todos devem vigiar os sentidos, do contrário Satanás alcançará vitória sobre eles; pois essas são as avenidas da alma” (Ellen White, O Lar Adventista, p. 401).

Neste mundo em que habita o pecado, não é fácil guardar as avenidas da alma (os cinco sentidos) do mal. A impureza parece ter tomado conta de quase tudo! Mas com o auxílio do divino Mestre, podemos sim manter nosso lar livre de tudo aquilo que pode servir para manchar os sentidos de toda família, incluindo os filhos. Talvez estejamos tão acostumados com o mal que é possível nem mesmo perceber o que há de impuro em nosso lar. Para isso, é necessário pedir que o Senhor abra nossos olhos e nos ajude a identificar o que precisa ser retirado de cada cômodo de nossa casa para que nosso lar se torne um local totalmente dedicado a Ele. Lembre-se: neste mundo não há nada que seja neutro. Ou pertence a Deus, ou ao inimigo. Não há meio termo!

Assim, se desejamos que nossos filhos sejam puros e fiéis a Deus, precisamos, pelo Seu poder, tornar nosso lar um local puro e fiel a Ele também. Para isso, será preciso fazer uma verdadeira faxina e nos livrar de tudo que pertença ao inimigo, mesmo que a princípio pareça inofensivo ou ingênuo. Isso envolve uma análise crítica de vários itens que mantemos em casa, como CDs, DVDs, livros, roupas, brinquedos, quadros, alimentos, objetos, etc. Ao analisarmos cada objeto devemos fazer a pergunta: “Isto pertence a Deus ou ao inimigo?” e com a ajuda do divino Mestre precisamos chegar a uma resposta. Essa pergunta precisa ser feita até mesmo a objetos que se dizem cristãos. Tudo deve ser submetido à Bíblia e ao Testemunho e verificado se não se trata de um “lobo disfarçado de ovelha”.

Essa faxina livrará nosso lar dos “preguinhos” que deixamos para Satanás pendurar suas influências e de tempos em tempos uma nova faxina precisará ser realizada, já que a medida que nosso conhecimento da Palavra de Deus avança, novas coisas se mostram prejudiciais.

A princípio uma faxina assim pode parecer um exagero, mas não é. Um lar dedicado exclusivamente ao Mestre é um lar verdadeiramente feliz, com filhos felizes. As coisas que foram retiradas, podem agora ser substituídas por coisas que agradam a Deus e influenciam nossos filhos para seguir o caminho da salvação. Não há recompensa maior!

2. Harmonia entre os pais:


Os pais precisam buscar o poder de Deus para estar em harmonia em tudo, seja no que trazem para dentro do lar, nas atividades desenvolvidas em família, nas decisões tomadas e assim por diante. Isso é muito importante para desenvolver confiança, respeito e bom comportamento por parte dos filhos. Se um diz “não”, o outro deve dizer o mesmo. Se um descobre que algo é prejudicial e decide poupar a família disso, o outro apoia e confirma, e assim por diante. Pais desarmonizados podem gerar filhos rebeldes, confusos e desequilibrados. Por isso, a importância de os pais sempre conversarem sobre os objetivos que divisam para a família, orarem e estudarem a Palavra de Deus juntos.

3. Rotina:


Adotar e seguir uma rotina é fundamental para a boa educação do filhos. Desde o recém-nascido até as crianças com mais idade reagem bem diante de uma rotina diária previsível de atividades. O resultado que se reflete nos filhos em geral é um comportamento mais tranquilo, cooperação, organização, disciplina e confiança nos pais. Cada família pode desenvolver sua própria rotina, uma que se adapte bem às suas necessidades. O ideal é que a rotina seja fixa, com horários para cada atividade, e que a família se organize para segui-los. 

Seguir um horário não é fácil para quem não está acostumado, mas como o tempo torna-se um hábito. Para os iniciantes, a dica é não se tornar escravo dos horários, mas encará-los como uma ferramenta de organização. Essa ferramenta deve ser simples e possível de ser seguida com facilidade, ou seja, sem horários apertados e muitas atividades complicadas. Nessa rotina diária deve haver, por exemplo, um horário específico para acordar, para realizar o culto familiar matutino e vespertino, para as refeições, para brincar, para ajudar nos deveres domésticos, para desfrutar da companhia uns dos outros (tempo em família) e para dormir. Clique aqui para baixar uma sugestão de rotina para crianças de um ano e meio a dois anos de idade. Nessa sugestão, a rotina foi exemplificada em figuras para que a própria criança possa entender e acompanhar a sequência de atividades do dia. O ideal é deixar a rotina em lugar visível e na altura dos olhos dos pequenos para que eles também possam acompanhar o horário.

Segundo a educadora cristã norte-americana Cinda Osterman, 50% dos problemas de comportamento dos filhos são solucionados ao implantar e seguir uma rotina familiar fixa de atividades. Surpreendente, não?!

A tarefa de educar para Deus representa uma imensa responsabilidade, mas juntamente com essa responsabilidade, há infinitas bênçãos, sendo uma delas, o refinamento do caráter dos pais, que com o auxílio divino, se refletirá no caráter dos filhos!

Que o Senhor Deus nos ajude e nos dê discernimento para educarmos nossos filhos para a eternidade! (continua)

Por Karina Carnassale Deana
Mãe aprendiz da Graziella, um ano e onze meses.

Acompanhe no Facebook

3 Comments

  • Anônimo

    Reply Reply 27 de janeiro de 2016

    Puxa vida que lindo irmã Karina!
    Muito obrigada, minha bebê fez um aninho agora em janeiro, estou lendo Orientação da Criança.
    Como gostaria de conhece los pessoalmente.
    Eu sei que o Senhor continuará abencoando – os.

    Abraço,
    Estela

    • Vida Campestre

      Reply Reply 28 de janeiro de 2016

      Querida Estela,

      Será um prazer conhecê-la pessoalmente. Que Deus abençoe sua leitura e a ajude a colocar em prática. Um abraço.

  • Vida Campestre

    Reply Reply 28 de janeiro de 2016

    Querida Estela,

    Será um prazer conhecê-la pessoalmente. Que Deus abençoe sua leitura e a ajude a colocar em prática. Um abraço.

Leave A Response

* Denotes Required Field