Hálito puro: certificado de bons hábitos

É
impressionante como nosso Deus é um Deus de detalhes, tanto na experiência
cristã individual como em tudo o que nos foi revelado. Diante disso, entendemos
que nenhum detalhe está escrito em Sua Palavra por acaso. Em 2 Timóteo 3:16 e
17 temos este conhecimento: “Toda Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa
para, ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; para
que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda boa obra”. Na história relatada no primeiro capítulo
do livro de Daniel encontramos um exemplo de como os hábitos podem ter uma
influência positiva e relevante em nossa saúde hoje. No livro Profetas e Reis, à página 485, foi-nos
revelado o seguinte a respeito de Daniel e seus amigos: “Na
corte de Babilônia estavam reunidos representantes de todas as terras, homens
do mais alto talento e mais ricamente dotados com dons naturais, e possuidores
da cultura mais vasta que o mundo poderia oferecer; não obstante entre todos
eles os jovens hebreus não tiveram competidor. Em força e beleza física, em
vigor mental e dotes literários, não tinham rival. A forma ereta, o passo firme
e elástico, a fisionomia agradável, os sentidos lúcidos, o hálito puro – eram
todos certificados mais que suficientes de bons hábitos, insígnia da nobreza
com que a Natureza honra aos que são obedientes a suas leis.”
Hálito puro é sinônimo de saúde e de funções corporais equilibradas. Para
tanto, é necessário não somente ser diligente com a higiene e os tratamentos
bucais, mas juntamente com isso, propor em seu coração não se contaminar com “a
porção das iguarias do rei”, escolhendo sempre o alimento que, embora simples,
seja o de melhor qualidade que se possa obter, segundo a orientação divina. Confiando
plenamente em Deus e em Suas promessas, assim como fizeram os jovens hebreus, também
temos a chance de ficarmos menos ansiosos e estressados, o que certamente
contribuirá para a saúde.
De Daniel, a Revelação nos diz que “o próprio Deus
era o seu professor”. Ele conhecia as leis imutáveis do ser e era totalmente
submisso à sabedoria divina, deixando um exemplo claro de que nós não temos um
modo melhor para alcançarmos saúde completa do que o deixado pelo nosso próprio
Criador.
A propósito, quais eram os hábitos de Daniel e seus
amigos para que tivessem, dentre tantas boas características, até mesmo o hálito
puro? Estude por você mesmo e confira no livro Profetas e Reis, capítulo 39, “Na Corte de Babilônia”:

1) Abstinência de tudo que poderia ser prejudicial.
Alimentos prejudiciais e bebidas intoxicantes. Daniel não se serviu do vinho
nem das iguarias da corte de Babilônia.

2) Domínio-próprio. Viviam os princípios divinos por
mais fortes que fossem as tentações ou mais probantes as circunstâncias. Eram
fiéis até nas pequenas coisas e honravam a Deus desde os mínimos deveres.

3) Sua dieta simples era composta de alimentos
vegetais, ricos em fibras que exigem mastigação e massageiam dentes e gengivas.
Somente bons alimentos podem tornar um sangue puro, capaz de combater as doenças
e levar os elementos de restauração ao corpo.

4) Faziam bom uso do melhor refrigerante por excelência:
a água.
5) Observavam a autodisciplina.

6) Uma vida de stress reduzido, por uma consciência
limpa, plena de confiança em Deus e uma vida de constante oração.

7) Era incessante a sua vigilância na luta entre o vício
e a virtude.
No livro Conselhos Sobre Regime
Alimentar,
à página 539, encontramos esta citação que revela algo
importante sobre o assunto:
“Porque é moda, em conformidade com um apetite doentio, o bolo
aprimorado, tortas, e pudins e tudo quanto é nocivo, é amontoado no estômago. A
mesa precisa estar carregada de variedades, do contrário o apetite corrompido não
se satisfaz. Pela manhã, esses escravos do apetite estão muitas vezes com mau hálito
e têm a língua saburrosa. Não desfrutam saúde, e cogitam por que sofrem dores,
dói-lhes a cabeça, e, sofrem vários males” (Spiritual Gifts, vol. 4, pág. 130).
Os jovens hebreus escolheram ser obedientes à sabedoria divina e foram
exemplos vivos em apresentar seus “corpos como sacrifício vivo, santo e agradável
a Deus” (Rm 12:1), e você? O que vai
escolher?


Dra. Evelin Vieira é cirurgiã-dentista e praticante do estilo de vida saudável, graças à misericórdia de Deus.

Acompanhe no Facebook

Leave A Response

* Denotes Required Field