Na casa da família Bazan o culto é assim…

Rute, Sarah, Anna e Dawerne

Uma das coisas que
decidimos levar a sério quando nos casamos, foi desenvolver o hábito de fazer o
culto em família. Na minha casa o culto doméstico era um hábito, mas para meu
esposo, vindo de uma família onde nem todos eram adventistas, isso seria novidade.
Começamos bem nos primeiros meses, mas logo percebemos que seria algo muito
mais difícil do pensávamos. Costumávamos ler a meditação matinal rapidinho
antes do desjejum e à noite estudávamos a lição já na hora de dormir, um tanto
sonolentos. Mas isso não acontecia todos os dias.

Começamos a pedir a
Deus que nos ajudasse a tornar nossos cultos mais significativos. Ele então
começou a nos ajudar de diferentes maneiras. Quando estava grávida da nossa
primeira filha, lemos o livro “Fuga para Deus” e começamos a enxergar Deus de
uma maneira muito mais pessoal. Começamos então a desenvolver o hábito da
comunhão pessoal pela manhã e naturalmente o nosso culto matutino foi se
tornando mais especial, pois era o horário que compartilhávamos o que tínhamos
estudado individualmente.
Outra maneira que Deus
usou para melhorar nossos cultos, principalmente o vespertino, foi com a
chegada da nossa filha Anna. O horário do final da tarde e começo da noite era
o momento que ela normalmente estava mais desperta e costumávamos ficar na sala
brincando com ela, acompanhando os primeiros sorrisos e barulhinhos. Gostávamos
de brincar e cantar com ela e de uma forma natural foi se tornando nosso
momento de culto vespertino em família.
Conforme ela foi
crescendo e com a chegada da segunda filha, os horários de culto se tornaram o
momento preferido do dia. Procurávamos tornar o culto atrativo cantando músicas
infantis, com gestos e contando histórias bíblicas apropriadas para a idade delas.
Algumas vezes, entre um e dois aninhos de idade, confesso que ficamos um tanto
desanimados, era muito difícil sentarem quietinhas e parecia que não
aproveitavam muito. Percebemos, no entanto, que aquele momento era especial
para elas, pois quando saíamos à noite e fazíamos o culto na igreja ou na casa
de outra pessoa, ao chegar a casa tínhamos que fazer o “nosso” culto, pois para
elas não contavam o que era feito fora de casa. Já aconteceu de chegarmos bem
tarde e elas já estarem dormindo e quando percebiam que estavam indo para a
cama acordavam correndo chorando pedindo para fazer o culto, e lá íamos nós
para a sala… com prazer!
Nos últimos anos meu
esposo passou a trabalhar em casa, então temos o privilégio de fazer tanto o
culto matutino como o vespertino em família. Já usamos diferentes materiais
tanto em um como em outro horário: Histórias da Bíblia, livros como Vida de
Jesus, trechos de outros livros do Espírito de Profecia adaptando a linguagem e
outros livros infantis com histórias bíblicas. Atualmente estamos estudando as
lições da Escola Sabatina no culto matutino, assim as meninas podem fazer as
atividades indicadas durante o dia e à noite estamos seguindo o plano de
leitura da Bíblia “Reavivados pela Palavra” (um capítulo por dia, até a próxima
Assembleia da Associação Geral).
A sequência que
usamos, no culto matutino é: oração, cânticos, estudo das lições e aplicação, e
uma oração para finalizar. Temos um livrinho de oração com nomes de pessoas por
quem oramos que é usado nesse momento. No culto vespertino começamos com
oração, depois cânticos, leitura da Bíblia e comentários/aplicações e uma
oração para finalizar. Quando estamos passando por alguma situação diferente ou
quando queremos estudar algum assunto específico para lidar com um problema,
usamos materiais específicos sobre o assunto desejado. Um detalhe importante é
que sempre terminamos com beijinhos desejando um “Bom dia” ou uma “Boa noite”!
Somos muito gratos por
Deus ter nos ajudado a estabelecer o culto familiar como um hábito em nosso
lar. Nem sempre foi fácil e às vezes o inimigo ainda tenta atrapalhar, mas o
culto definitivamente é uma grande bênção para a família. Ele nos une como
família e une a família com Deus. Sentimos uma paz no coração em saber que as
últimas lembranças que as meninas levam para a cama não são os probleminhas que
tiveram durante o dia, mas uma mensagem espiritual confortante e a segurança do
amor de Deus e de nós, os pais.
Se você está lutando
para estabelecer o momento de culto. Ore e peça a Deus sabedoria para saber o
que é melhor para sua família, e Ele com certeza lhe mostrará.

Acompanhe no Facebook

Leave A Response

* Denotes Required Field