Cães ovolactovegetarianos

Babaloo, Savana e Sofia
“escovando os dentes”

Sansão, Babaloo, Sofia e Savana são nossos amados cães. Eles moram conosco aqui no sítio Ararat e amam a vida no campo. Todos eles são da raça são bernardo, por isso, se dão muito bem com o clima frio daqui. Eles são cães bem ativos. Gostam de nos acompanhar nas caminhadas, nadar no lago, espantar os cães dos vizinhos, babar nos visitantes, roer ossos que encontram no pasto, cavar buracos, vigiar a casa, brincar de luta entre eles, assustar os gansos e muitas outras atividades campestres!

Nós sempre alimentamos nossos cães com ração. Primeiro, por ser mais prático, depois por imaginarmos que dessa forma garantiríamos que receberiam uma alimentação equilibrada. Jamais havia passado em nossa mente fazer comida para eles. Só de imaginar aquele panelão de fubá com pé de frango, comida que os antigos costumavam oferecer aos cães, já nos sentíamos enojados! 

Savana e Babaloo 
nadando no lago

Certo dia, conversando com uma veterinária sobre as muitas doenças crônicas e fatais que têm surgido entre os amigos fiéis do homem, ela explicou que grande parte delas resulta da má alimentação canina. A grande maioria das rações, por exemplo, são acrescidas de açúcar, conservantes, aditivos e corantes, que representam uma grande ameaça para o bom funcionamento do organismo canino, sem contar que a base de praticamente todas as rações é o milho, que não é o alimento ideal para o cão. Segundo ela, depois da entrada da ração no cardápio dos cães, o índice de doenças como câncer aumentou drasticamente.

Na ocasião, perguntei o que ela achava de oferecer comida caseira para os cães. Ela respondeu que esse era o ideal, mas que não costuma orientar os clientes a fazerem isso por causa da praticidade da ração. Outro veterinário, opinando sobre o assunto, afirmou que não costuma indicar comida caseira aos clientes porque os seres humanos passaram a se alimentar muito mal, consumindo alimentos refinados, açucarados e gordurosos. Segundo ele, se os próprios donos, que são seres racionais, consomem uma dieta pobre, quem garante que oferecerão uma dieta saudável aos cães?

Essa conversa aconteceu há poucos anos e desde então meu esposo e eu ficamos incomodados com a tal da ração. Por outro lado, não queríamos ficar cozinhando carne em casa para os cães, já que não temos o costume de preparar esse alimento. Decidimos na época procurar uma ração mais natural possível, sem conservantes, açúcar e corantes, e completar a dieta deles com frutas, como banana e mamão. Foi bem difícil encontrar uma marca de ração com esses requisitos sem esfaquear nosso bolso. Encontramos uma marca que nos livrou do açúcar e do corante apenas, mas não dos ingredientes transgênicos, do milho e do conservante. Pobres cães!

Há pouco mais de um mês, porém, decidimos mudar radicalmente e seguir as orientações de um site muito interessante chamado Cachorro Verde. Esse site oferece várias sugestões de dieta caseira para cães e gatos, inclusive uma sugestão de dieta ovolactovegetariana. As informações disponibilizadas no site são bem completas e coerentes. Ao falar sobre os tipos de cereais a serem usados na dieta caseira do cão, por exemplo, o site indica os cereais integrais “por serem mais nutritivos”. A respeito da fonte de óleo, o site condena a margarina, por ser repleta de gorduras trans, como também os óleos refinados, como o óleo de soja, milho, canola e girassol,  pois “frequentemente são obtidos com emprego de calor (o que causa oxidação e os torna potencialmente danosos à saúde), refinados, desodorizados (processamentos químicos por vezes violentos) e mal armazenados e transportados”. Puxa, até parece que essas informações foram tiradas de um site sobre nutrição humana saudável, não é mesmo? Agora “cá pra nós”, se esse tipo de alimento não faz bem para cachorro, que dirá para o ser humano?

Davidson e Grazi prontos
para alimentar os cães

Depois de ler as informações oferecidas pelo site, optamos pela dieta ovolactovegetariana e colocamos a “mão na massa”. Há mais de um mês nossos cães estão se deliciando com uma comidinha caseira e natural, composta por arroz integral, soja, gérmen de trigo, ovo cozido e iogurte natural (3 vezes por semana), vegetais variados (como beterraba, cenoura, chuchu, inhame, cará, abóbora, batata doce, etc), alho, sal, azeite extra virgem, levedo de cerveja e frutas variadas (banana, abacate, mamão, etc). É claro que não servimos todos os vegetais e frutas citados acima de uma vez, mas de forma alternada. Compramos um recipiente plástico com quatro divisões. Nele dividimos a comida na quantidade ideal para cada cão (o que já está bem automático para nós agora) e depois servimos nas vasilhas de costume.

A esta altura, pode ser que você esteja imaginando que os nossos gastos aumentaram absurdamente, afinal, nessa dieta vai até azeite extra virgem! Se você está pensando assim, digo que você está equivocado. Segundo nossos cálculos, estamos tendo uma economia de 60% em relação ao valor que gastaríamos para alimentar nossos cães com uma ração premium, isso incluindo também o gás que utilizamos para cozinhar. Além da economia, ganhamos também em qualidade e saúde para os nossos animais, que estão simplesmente A-MAN-DO o novo cardápio. Para economizar ainda mais, compramos os cereais e grãos integrais em grande quantidade direto de um fornecedor de nossa confiança, que garante que seus produtos não são transgênicos, e os vegetais e frutas no CEASA. Em breve, a economia e a qualidade serão ainda maiores, pois estamos nos preparando para produzir vegetais e frutas orgânicos em nosso próprio sítio e estamos cogitando voltar a criar galinhas para obter ovos frescos e saudáveis.

Sansão garantindo que a
comida será servida no horário

Nossos cães ovolactovegetarianos continuam ativos como sempre, só que agora não perdem o horário da refeição por nada, nem por uma boa aventura. No horário costumeiro da manhã e da tarde, o Sansão, porta-voz e líder da matilha, nos avisa que chegou a hora de comer e não sai da nossa porta até a comida ser servida. Estamos muito satisfeitos com o resultado e creio que nossos cães também. Vale a pena um trabalhinho extra para cuidar da saúde, seja de nossos animais ou da nossa.

Por Karina Carnassale Deana – Saúde Total

Acompanhe no Facebook

8 Comments

  • Anônimo

    Reply Reply 18 de maio de 2012

    Muito interessante!

    Vejo que os cães já se acostumaram com a nova dieta. Mas como foi a adaptação inicial, uma vez que já estavam cachorros crescidos e adaptados a outro tipo de alimento (carne..)? eles estranharam muito?

    Ziléne Ramos
    Cabo Verde

    • Vida Campestre

      Reply Reply 18 de maio de 2012

      Olá, Zilene!

      Os cães não tiveram nenhum problema com a nova alimentação. Eles simplesmente amaram desde o início. Como antes eles comiam apenas ração e às vezes alguma fruta para complementar, penso que ficaram tão felizes em ter alimentos diferentes para comer que não tiveram problema algum com a nova dieta!

  • Marily Reis

    Reply Reply 7 de janeiro de 2013

    Muito interessante, Ka. Agora tenho um cachorro Lhasa Apso de 2 meses. Sera que ja posso oferecer esse tipo de comida pra ele ao inves de racao? E vc sabe qual a frequencia e quantidade desse tipo de refeicao para um cachorro de pequeno porte?

  • Rosana

    Reply Reply 5 de janeiro de 2014

    Excelente post!
    Gostei muito do que a veterinária falou.
    Os meus cães que não foram alimentados com ração morreram de doenças normais da idade.
    Infelizmente o que foi alimentado mais com ração teve câncer no pâncreas e foi definhando aos poucos por quase um ano e meio, sendo que os outros não tiveram sofrimento tão longo, foi no máximo 1 mês.
    Hoje eu dou comida caseira e ração, mas quero parar de vez com a ração pois para mim são como biscoitinhos nocivos.
    Não sei se você já reparou na validade. Não é normal um produto feito com carne (pelo menos teoricamente) ter validade de aproximadamente 1 ano!
    Há algum tempo fiz uma extensa pesquisa sobre como as rações são fabricadas. Não existe muita coisa sobre o assunto, mas o pouco que li foi suficiente para eu perceber que a ração é muito pior do que eu imaginava…
    E o seu artigo me fez repensar mais uma vez se vale a pena continuar dando esse tipo de "alimento" em nome da praticidade. Eu acho que não.

  • Anônimo

    Reply Reply 8 de junho de 2015

    Muito bom,aqui a minha Branquinha,viralatas de olhos azuis, consome todo dia uma banana [mas sou obrigado a amassar,ela é exigente.] com iogurte natural,sem sabor,sem açucar,as vezes ,misturo um pouco de outra frutas,como goiaba,morango,mamão,no verão,bato com um pouco de água no liquidificador,pra garantir uma maior hidratação.
    Mas a carne ela não dispensa a carne…
    Quanto a ração,os veterinários costumam incentivar o uso,mas sou contra,levam aditivos que foram proibidos para humanos,como o bht,milho transgênico,e a carne,eles conseguem aproveitar partes que nós não comeriamos.
    Imagine,comer todo dia a mesma comida,por melhor que seja,enjoa. Isso é o que acontece com a maioria dos animais que comem ração,pois os donos costumam dar todo dia a mesma coisa,a mesma ração,eu procuro manter boa variedade de legumes,cereais e carnes,além das frutas. Também conheço e recomendo site "cachorro verde".
    Parabéns pelo cuidado com os cães
    André

Leave A Response

* Denotes Required Field