O plantio dos anjos no Ararat – parte 1

Há poucas semanas, demos início aqui no Sítio Ararat ao processo de plantio conhecido como Método de Plantio do Anjos. Parte das instruções desse método de plantio foram registradas por Ellen White em Mensagens Escolhidas, volume 3. Outros detalhes foram resgatados à partir de cartas e de outros registros de EGW por alguns voluntários norte-americanos que hoje se dedicam a ensinar o método.

Exemplo de esquema
de plantio segundo o SAF

O Método de Plantio dos Anjos (MPA) não é nenhum mistério, apesar de ser bem diferente do que a agricultura moderna propõe. O processo é um pouco mais trabalhoso, mas o resultado compensa o esforço. Aqui no Ararat decidimos praticar o MPA associado ao Sistema Agroflorestal (SAF) que aprendemos com o amigo e agrônomo (ou jardineiro, como ele prefere ser chamado) Henrique Souza, que transformou o sítio em que mora em um verdadeiro oásis autossustentável. De acordo com o SAF, resumidamente, as plantas não são plantadas de forma isolada, cada espécie em um espaço separado, mas, sim, conforme se vê na floresta natural, em que as espécies crescem juntas e se beneficiam mutuamente.

A seguir, descrevemos com detalhes os primeiros passos que demos aqui no sítio para o preparado da terra segundo o MPA e o SAF:

Decidimos começar o processo com o plantio de árvores frutíferas e árvores para extração de madeira. Como desejamos plantar muitas mudas em um espaço grande de terra, contratamos os serviços de uma retroescavadeira para fazer as covas.

Cova de tamanho 1,0×1,0x1,0m

Segundo o MPA, as covas para árvores devem medir 0,80×0,80×0,80cm. Como a pá da retroescavadeira que contratamos media um metro, nossas covas ficaram um pouco maiores.

Cano de drenagem com 
pedras nas extremidades

Com as covas prontas, demos início à recuperação e ao preparo do solo. O primeiro item que colocamos na cova foi o cano, que segundo o MPA serve para manter as raízes aeradas. Nós usamos o cano de drenagem, com 40cm de comprimento e 10cm de diâmetro, mas pode ser qualquer tipo de cano ou até mesmo um balde virado com a boca para baixo. No caso do cano, é preciso colocar uma pedra em cada uma das extremidades para evitar a entrada de terra. No caso do balde, deve-se colocar uma pedra em cima, para evitar que ele vire.

Covas a cada quatro metros

Optamos por fazer covas a cada quatro metros, pois de acordo com SAF, nesse espaço para árvores de porte grande, cujo crescimento é mais lento, pode-se plantar árvores, arbustos ou outras plantas de porte menor ou de crescimento mais rápido, como maracujá, amora, romã, palmito, etc. Essas plantas frutificarão muitas vezes, e algumas espécies até deixarão de existir, como o maracujá, antes de a árvore de porte grande crescer o suficiente para sombreá-las. Quando finalmente isso acontecer, as árvores de porte pequeno, que já frutificaram várias vezes, servirão de adubo ou até mesmo, dependendo da espécie, permanecerão vivas e produtivas sem atrapalhar as árvores de porte grande. Outra opção é plantar flores entre as árvores, como azaléias ou hortências, transformando o pomar num belo jardim.

Vala para canteiro

Como aqui o clima é em geral frio, decidimos montar uma estufa para o cultivo de vegetais variados, temperos e algumas frutas mais delicadas, como o morango e o tomate. No caso de canteiros, o MPA não indica covas, mas sim valas. As nossas valas medem 0,80cm de largura por 0,80cm de profundidade por 27 metros de comprimento (sim, nossa estufa será bem grande!). Fizemos três valas nessas medidas, uma ao lado da outra com uma distância de 0,80cm entre elas. Assim como nas covas, colocamos ao fundo das valas o cano de drenagem e protegemos as extremidades com pedras.

O próximo passo agora será a mistura da terra e a adição de alguns itens necessários para a recuperação do solo, que antes de chegarmos aqui foi desgastado pelo cultivo de batata com muito agrotóxico, como é de costume na agricultura tradicional. Em breve descreveremos aqui a próxima etapa. Não perca!

Por Karina Carnassale Deana – Vida Campestre 

Acompanhe no Facebook

14 Comments

  • joice

    Reply Reply 30 de abril de 2012

    Que benção,amei esta matéria assim já vou aprendendo e quando for para o sitio colocarei em pratica. Até a próxima Karina

  • Anônimo

    Reply Reply 1 de agosto de 2012

    Postem quando der frutos! to anciosa…

  • Tiago Castro

    Reply Reply 27 de março de 2014

    poderiam colocar ai a sucessão dos fatos, nao? rsrs

    • Vida Campestre

      Reply Reply 29 de março de 2014

      Tiago, tem razão, estamos devendo a sequência dos fatos! Queremos gravar um vídeo com todas as explicações de uma vez. Em breve faremos isso! Um abraço.

  • Anônimo

    Reply Reply 6 de abril de 2014

    estou muito interessada em aprender esse metodo de plantio. Gostaria de mais informaçoes.

  • Anônimo

    Reply Reply 6 de abril de 2014

    Cade a parte 2!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Anônimo

    Reply Reply 23 de abril de 2014

    Muito bom esse método, também Gostaria da parte 2!

    • Vida Campestre

      Reply Reply 24 de abril de 2014

      Também estamos ansiosos para publicar mais informações e esperamos em breve lançar um vídeo contendo todas as informações que conhecemos sobre esse método. Aguardem!

  • Anônimo

    Reply Reply 2 de maio de 2014

    Olá, fiquei apenas com uma dúvida. No caso das valas, o método será o mesmo? Porque por exemplo, a raiz do tomate, morango, alface e demais hortaliças são pequenas e não atingirão toda a profundidade da vala. Assim, nesse caso, seria indicado valas menos profundas?

    • Anônimo

      Reply Reply 12 de fevereiro de 2015

      Verdade. Pensei o mesmo sobre as raízes serem arejadas numa profundidade que as raízes não alcancem. Talvez os canos sejam a apenas pra armazenamento de agua.

  • Anônimo

    Reply Reply 8 de fevereiro de 2015

    Estamos para nos mudar p/um sítio, pretendemos fazer um plantio assim também, seguindo o método deixado por Deus. Obrigada pela matéria e dicas. Vimos que também a Maíza e Leandro Ribeiro plantam assim lá na escola de profetas, Deus tem abençoado e a produção tem sido excelente.
    Onde fica o Ararat? Perto de qual cidade de Minas? É uma região boa? Tem alguma outra sugestão? Pergunto pq estamos pesquisando regiões p/comprarmos um sítio.
    Obrigada,
    Roseli Rolim (roseli_rolim@hotmail.com)

  • JULY SAMARA

    Reply Reply 11 de maio de 2016

    Vou unir-me ao coro: queremos a parte 2!! rsrs

Leave A Response

* Denotes Required Field