Saiba como se alimentar bem fora de casa

Se você é vegetariano estrito como eu, você sabe como é difícil encontrar o que comer quando saímos de casa, especialmente em cidades do interior. Mesmo nas capitais, em que há restaurantes com mais variedades, a maioria dos pratos oferecidos tem pelo menos um ingrediente de origem animal ou aditivo alimentar – o feijão tem carne, a abobrinha recheada tem pimenta e glutamato monossódico (Sazón e concorrentes), o assado de legumes tem queijo, a salada de fruta tem leite condensado, o pão integral tem margarina, sem contar a dúvida sobre a higienização correta dos vegetais e por aí vai. Mesmo assim, é possível sobreviver um ou dois dias à base de suco natural, frutas, castanhas e o que mais conseguirmos encontrar. No entanto, o que fazer quando a viagem dura uma semana, um mês ou mais? Viver de castanhas e frutas esse período todo não nos deixará anêmicos, mas certamente enjoados. Será que a única saída é apelar para as exceções? Fazer “vista grossa”?

Meu esposo e eu viajamos bastante a trabalho e conhecemos muito bem as dificuldades de passar dias fora de casa. Geralmente, passamos uma semana ou mais viajando e você pode imaginar o que já enfrentamos por aí, mas com o tempo aprendemos algumas coisas que nos ajudam a lidar com essa situação com maior facilidade. A seguir, compartilho com você algumas dicas:

1. Previna-se, faça uma malinha de comida:
Depois de passarmos por algumas experiências amargas, agora sempre levamos uma malinha de comida com itens que em geral temos dificuldade em encontrar em supermercados comuns, como: tahine, mel puro, sal marinho, castanhas, tremoço em conserva e frutas desidratadas. Além desses itens, também costumamos levar aveia, granola caseira, pão integral caseiro, trigo para quibe, leite de coco, azeite, etc. É claro que o tamanho da malinha de comida depende do meio de transporte, automóvel ou avião, mas com esses ingredientes básicos é possível fazer várias receitas práticas e rápidas, mesmo no quarto do hotel (confira algumas receitas ao final).

2. Invista:
A fim de sobreviver vários dias fora de casa sem passar fome, é preciso investir em alguns utensílios muito importantes:
  • Ralador;
  • Coador;
  • Mixer (recomendamos o de 400 watts. Claro que no lugar do mixer pode ser o bom e velho liquidificador, mas ele exigirá um espaço bem maior na mala);
  • Recipiente para bater os alimentos com o mixer;
  • Recipientes para guardar comida;
  • Pratos, copos e talheres (opcional. Geralmente o hotel empresta sem criar problemas);
  • Faca para descascar e picar frutas;
  • Pano de prato (faz muita falta quando esqueço!);
  • Esponja e sabão.


3. Não tenha vergonha:
Claro que o ideal é hospedar-se em um flat (hotel que oferece quartos com cozinha equipada), mas nem sempre isso é possível, seja por causa do custo ou da disponibilidade. Assim, resta duas opções: fazer somente receitas que não precisem ser levadas ao fogo (ver abaixo) – o que não é ruim – ou procurar o gerente, explicar a situação e pedir para usar a cozinha do hotel.
Certa vez, passamos dez dias em uma determinada cidade. No quarto havia uma pia de cozinha e um frigobar, mas não havia fogão, apenas micro-ondas, utensílio que já dispensei há algum tempo. Decidi procurar o gerente. Educadamente expliquei minha dieta alimentar e pedi permissão para usar a cozinha do hotel para cozinhar coisas simples. O cozinheiro me recebeu muito bem e combinamos o melhor horário para eu cozinhar. Tive a oportunidade de apresentar o estilo de vida de Deus ao cozinheiro e trocar algumas ideias interessantes.

Em outra ocasião, ficamos em um hotel com cozinha, mas não havia forno, apenas o cooktop. Ficamos hospedados lá por 15 dias e o pão que eu havia levado de casa acabou ao final da primeira semana. Novamente procurei o gerente, expliquei a situação e pedi para assar alguns pães no forno da padaria do hotel. Ele gentilmente atendeu ao pedido e mais uma vez tive a oportunidade de apresentar os benefícios do estilo saudável proposto por Deus. Uma grande oportunidade de testemunhar!
Recentemente, adquirimos um cooktop bem simples que carregamos conosco nas viagens. Onde é permitido, utilizamos o cooktop no próprio quarto para fazer coisas simples como sopa, pipoca, cuscuz nordestino, milho cozido, leite vegetal, mingau de aveia e assim por diante. Uma bênção!
No entanto, se você não se sente à vontade para pedir permissão para usar a cozinha do hotel ou em levar seu próprio cooktop, ainda é possível alimentar-se bem. Confira algumas receitas abaixo.

4. Receitas Rápidas e Práticas:

Estas receitas não precisam ser cozidas e podem ser feitas com facilidade em qualquer lugar, mesmo no quarto do hotel. Confira:

PATÊ DE CENOURA CRUA
Ingredientes:
  • 4 cenouras grandes raladas
  • 2 colheres de café de sal marinho
  • Suco de 1 limão grande
  • Cheiro verde a gosto [fica especial com cebolinha]
  • 1 ou 2 dentes de alho
  • 1/3 xícara de óleo ou azeite
  • 1/3 xícara de água
Modo de fazer:
Colocar todos os ingredientes no liquidificador [ou mixer] e bater até triturar bem a cenoura. Excelente com pão integral!
PATÊ DE TOMATE SECO COM AZEITONA

Ingredientes:

  • 1 parte de tomate seco em conserva [escorrer bem o óleo antes de usar]
  • 1 parte de azeitona sem caroço picada
  • Cheiro verde a gosto
Modo de fazer:
Bater tudo no mixer até triturar bem. [Foto real tirada no quarto do hotel].

PATÊ DOCE OU SALGADO DE TAHINE
  • Tahine
  • Mel ou sal marinho
Modo de fazer:
Para o patê doce, misturar o tahine com mel a gosto. Para o patê salgado, misturar o tahine com sal e alho e bater no mixer com um pouco de água.
MAIONESE DE ABACATE
Ingredientes:
  • 1/2 abacate médio
  • 1/2 dente de alho
  • Suco de 1/4 de limão (para não deixar escurecer)
  • 1/2 colher de sopa de sal
  • Água suficiente para dar a consistência
Modo de fazer:
Bater tudo no liquidificador [ou mixer] até obter um creme.
PATÊ DE GRÃO-DE-BICO

Ingredientes:
  • 2 xícaras de grão-de-bico cozido [é possível encontrar boas opções de conservas em salmoura no supermercado já cozidas].
  • 3 colheres de sopa de pasta de gergelim (tahine)
  • Suco de um limão grande
  • 3 dentes de alho (opcional)
  • 4 colheres de sopa de azeite
  • 1 colher de café de sal marinho
  • 1/2 colher de café de cominho
  • 1 colher de sopa de cebola em pó
Modo de fazer:
Bater todos os ingredientes no liquidificador [ou mixer] até obter um creme.
MINGAU ESPECIAL
Ingredientes:
  • 3 colheres de sopa de aveia
  • Suco de ½ limão
  • 1 pêra ralada
  • 3 colheres de sopa de leite de coco
  • Xerém de cajú ou castanha do Pará picada a gosto
  • 1 colher de sopa de mel
Modo de Fazer:
Misturar tudo e consumir. Para variar um pouco, substituir o limão por 1 kiwi picado ou 1 maracujá. No lugar do leite de coco também fica gostoso bater um pouco de abacaxi no liquidificador [ou mixer] com o mínimo de água possível e juntar à mistura. A pêra pode ser substituída por outras furtas como morango (bom demais). Maçã e passas também dão uma boa combinação!
CREME DE MANGA

Ingredientes:
  • 3 mangas médias descascadas e picadas [de preferência sem fiapo, como manga palmer ou manga rosa]
  • 200 ml de leite de coco
Modo de Fazer:
Bater as mangas e o leite de coco no liquidificador [ou mixer]. Colocar em recipiente de vidro. Servir gelado.
Dica: Excelente para comer de manhã acompanhado de granola.
TABULE
  • 1 xícara de trigo para quibe deixado de molho por 2 horas
  • 1 pepino picado
  • 2 tomates picados sem a polpa
  • 1 cebola picada
  • Azeite a gosto
  • Sal a gosto
  • Cheiro verde picado
  • Suco de 1 limão
  • Temperos de sua preferência [fica especial com Zaátar, tempero árabe]
Modo de fazer:
Escorrer o máximo possível a água em que o trigo para quibe ficou de molho com o auxílio de um pano de prato limpo ou coador. Misturar os demais ingredientes ao trigo para quibe e consumir.
LEITE DE CASTANHA
Ingredientes:
  • 1 xícara de castanha do Pará
  • 1 litro de água fervendo [peça água fervendo na recepção – rsrs]
  • Pitada de sal
  • Mel a gosto
  • Essência de baunilha (opcional)
Modo de Fazer:
Bater a castanha e a água fervendo no liquidificador [ou mixer]. Temperar com pitada de sal, essência de baunilha (opcional) e mel. Bater bem. Coar no coador ou pano [gostamos sem coar. Dá menos trabalho e fica bem gostoso acompanhando a granola ou cuscuz nordestino].
Dica: Para variar, substituir a castanha do Pará por castanha de cajú, amendoim ou amêndoa.

ALMOÇO 5 MINUTOS

Na foto ao lado, registramos um de nossos almoços no quarto do hotel.
Menu do dia:
  • Ervilha em conserva [procure as conservas de salmoura]
  • Tomate seco;
  • Fundo de alcachofra [que chique!]
  • Azeitona;
  • Fruta-Pão cozida [fruta típica da região em que estávamos. O sabor parece uma mistura de mandioca com batata, mas é fruta, não raiz. Uma delícia!]. Nessa ocasião, cozinhei a fruta-pão em meu cooktop, mas se você não tiver um, não tenha vergonha, peça para usar a cozinha do hotel.
Bom Apetite!

Acompanhe no Facebook

5 Comments

  • Anônimo

    Reply Reply 29 de setembro de 2012

    Excelente dicas nao so pra quem viaja mas tambem de receitas faceis e praticas pro dia-a-dia. Muito bom. Parabens e muito obrigada pelas dicas.
    Eliane

  • Betarocks

    Reply Reply 6 de julho de 2015

    Karina, na sua dieta pode comer raiz?

  • Kelly

    Reply Reply 1 de maio de 2016

    Quando viajamos, eu aproveito para conhecer a culinária local… Pra mim, faz parte da viagem!

    • Vida Campestre

      Reply Reply 2 de maio de 2016

      Oi, Kelly

      Sim, concordo com você! O problema é que temos tido dificuldade em encontrar pratos locais que não sejam de origem animal ou sem química 🙁
      Aí o jeito é provar apenas as frutas regionais, como foi o caso da fruta pão que descrevi no post acima. Em geral, gosto de ir à feira local para descobrir o que há de diferente…
      Beijos.

  • Vida Campestre

    Reply Reply 2 de maio de 2016

    Oi, Kelly

    Sim, concordo com você! O problema é que temos tido dificuldade em encontrar pratos locais que não sejam de origem animal ou sem química 🙁
    Aí o jeito é provar apenas as frutas regionais, como foi o caso da fruta pão que descrevi no post acima. Em geral, gosto de ir à feira local para descobrir o que há de diferente…
    Beijos.

Leave A Response

* Denotes Required Field