Pitaco: Fermento na farinha

Citação: “Na parábola, a mulher colocou o fermento na farinha. Ele era necessário para suprir uma necessidade. Com isso, Deus queria ensinar-nos que, por si mesmo, o homem não possui os atributos da salvação. Ele não pode transformar-se pelo uso de sua vontade. A verdade tem de ser recebida no coração. Assim o fermento divino realiza sua obra. Por seu poder transformador e vitalizante, produz uma mudança no coração. São despertados novos pensamentos, novos sentimentos, novos propósitos. A mente é transformada, as faculdades são postas em atividade. O homem não é provido de novas faculdades, mas as faculdades que possui são santificadas. É despertada a consciência que até então estava morta. Mas o homem não pode fazer essa mudança por si mesmo. Ela só pode ser efetuada pelo Espírito Santo. Todos os que querem ser salvos, quer sejam altos ou baixos, ricos ou pobres, precisam submeter-se à atuação desse poder” (E Recebereis Poder, MM 1999, 10 de janeiro, p. 18).
Pitaco: Desejo reforçar nossa necessidade de suplicar urgentemente pelo derramamento do Espírito Santo, para que Ele dirija cada detalhe de nossa vida e nos capacite a servir a Deus de todo o coração. Assim, o texto inspirado: “quer comais, quer bebais ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus” (1Co 10:31), poderá ser uma realidade na sua e na minha vida.

Note que nada mais será uma questão de pode ou não pode, ou simplesmente é pecado ou não, ou mesmo se é ou deixa de ser ponto de salvação, nossas escolhas partirão de um patamar mais elevado: é para a glória de Deus?

Nessa ótica, começo a entender por que Paulo deixou-se açoitar e não exigiu seus direitos de cidadão romano (ver Atos 16), por que os três hebreus não se ajoelharam uma única vez perante a estátua de Nabucodonosor para salvar a vida e depois… pedir perdão a Deus (não é esse o conceito moderno que Deus sempre perdoa?); por que tantos fiéis foram martirizados na idade média, por que Jesus não se defendeu perante Pilatos, etc.
A religião, o namoro, o trabalho, a recreação, as amizades, a geladeira, a despensa, a conversação, os objetivos, o dinheiro, a música, o olhar, os motivos e até mesmo os pensamentos serão para a glória de Deus daquele que deseja e permite ser dirigido pelo Espírito Santo. Amém!
Jesus não precisa de fãs e sim de adoradores fiéis. O que hoje você escolhe ser?
Oremos uns pelos outros!

Por Mauro Carnassale – Pitaco

Acompanhe no Facebook

Leave A Response

* Denotes Required Field