Da vitória sobre o câncer à vida no campo – versão completa

Deus concedeu-nos o grande privilégio de partilharmos o nosso testemunho através da edição deste mês (janeiro/2012) da Revista Adventista (clique aqui para ler). No entanto, por questão de espaço, tivemos que resumir nossa história. A seguir, encontra-se a versão completa do artigo que escrevemos. Nosso desejo é que o nosso testemunho possa incentivá-lo a dar passos firmes de fé ao buscar fazer a vontade de Deus para a sua vida neste novo ano.

Da vitória sobre o câncer à vida no campo (versão completa)

É possível seguir todos os conselhos de Deus? O estilo de vida proposto por Deus é compatível com a vida do cristão moderno? Como viver “de toda palavra que sai da boca de Deus”? Essas e outras perguntas nos impulsionaram a buscar respostas em Deus e nos conduziram para uma vida que jamais poderíamos imaginar.

Nossa busca começou no namoro. Nós dois crescemos em um lar adventista e aprendemos a amar a bendita esperança da volta de Jesus, mas alguma coisa nos incomodava. Parecia que algo impedia que as promessas de Deus se cumprissem plenamente em nossa vida e não sentíamos completamente a alegria e a paz que Jesus promete dar.

Entendendo que precisávamos conhecer melhor a vontade de Deus, quando ainda namorávamos decidimos ler o livro O Lar Adventista e outros livros do Espírito de Profecia. Ao longo de nosso estudo, entre outras coisas, fomos impressionados a começar as mudanças pela reforma de saúde. Na época achávamos que se tratava de uma questão de qualidade de vida, mas hoje entendemos que se trata de adoração e de aprender a submeter a nossa vontade à Deus. Vemos agora por que Deus nos conduziu a dar esse passo em primeiro lugar.

Depois de casados, passamos a morar em um grande centro urbano. A vida ficou corrida e tumultuada. Estudos, trabalho e outros compromissos pessoais e com a igreja faziam com que a semana e mesmo o sábado fossem completamente tomados e restasse pouco tempo para Deus. Para não ferir a consciência, líamos a meditação matinal, fazíamos uma breve oração e saíamos para enfrentar o dia. Como Deus poderia falar conosco dessa forma, se não parávamos para ouvir a Sua voz? Certamente não compreendíamos isso. Achávamos que fazíamos o nosso melhor diante das circunstâncias e que Deus entenderia, afinal, críamos nEle e éramos bastante atuantes na igreja local. Que ilusão!

Nessa época, foi lançado o desafio das quarenta madrugadas com Deus. No início parecia impossível levantar mais cedo para passar momentos com Deus, mas aceitamos o desafio. Quantas coisas aprendemos! Foi um choque! Deus estava desesperado para falar conosco e não fazíamos a menor ideia. Começamos pela primeira vez a ouvir de forma mais clara a voz de Deus. Ele parecia “gritar” aos nossos ouvidos. A partir de então, as mudanças em nosso estilo de vida foram muito mais intensas. O Espírito Santo colocou em nosso coração o desejo de nos envolvermos mais no evangelismo com os vizinhos, levou-nos a estudar as profecias com mais afinco, estimulou-nos a dar passos decisivos na reforma de saúde, ajudou-nos a mudar certos comportamentos no trabalho e no convívio social, como também colocou em nosso coração a vontade de ler sobre a vida no campo. Os livros Vida no Campo e Fuga para Deus suscitaram em nós o desejo de viver o sonho divino para o ser humano. Seria possível viver esse plano agora, em pleno século 21? Seria possível essa mudança radical de vida antes de nos aposentarmos? O plano de Deus parecia distante demais para nós, um alvo alto demais para ser atingido. Algumas perguntas começaram a bombardear a nossa mente: “Como obter o sustento no campo? Como mudar sem nenhuma reserva financeira? Para onde ir? E o meu emprego? E a vida social, como fica?” Decidimos crer e confiar, mesmo que o coração ainda estivesse temeroso. Mal sabíamos que ainda tínhamos muito a aprender sobre a confiança em Deus.

Apoiados nas promessas de Deus para aqueles que obedecem à Sua vontade, meu esposo e eu pedimos demissão de nossos empregos e começamos os preparativos para a mudança. Sentimos um forte calafrio subir e descer pela espinha, mas decidimos ver Deus em ação.
No exame demissório, meu esposo comentou com o médico a respeito de um inchaço na região do abdome. O médico assegurou que não passava de uma inflamação. O inchaço, porém, aumentou. Ao final da semana, um dia depois de assinar a rescisão, fomos ao médico. Já na consulta, sem nenhum exame, o médico reconheceu de que se tratava de um tumor maligno muito agressivo, que se desenvolveu em decorrência de hábitos antigos. Sem demora, o médico marcou a cirurgia para dali cinco dias e disse-nos que não poderíamos ter filhos. “Tem certeza de que não se trata de uma simples inflamação, doutor?”, pensamos. “Como Deus pôde permitir uma coisa dessas logo agora? Será que fomos longe demais?” Nessa ocasião, aprendemos uma importante lição: fé é razão, não sentimento. Precisávamos crer simplesmente porque Deus falou, apesar de tudo parecer contrário. Para agravar ainda mais a situação, por causa da demissão, teríamos acesso ao convênio de saúde por só mais um mês. Depois disso, o tratamento sairia de nossas economias.
Deus, no entanto, tinha tudo planejado, só não sabíamos disso. Ele nunca é pego de surpresa! No mesmo dia do diagnóstico, ligamos para a empresa e perguntamos se havia alguma forma de continuarmos no plano de saúde até o término do tratamento. A empresa pediu um tempo para verificar a possibilidade. Nesse mesmo dia, iniciamos os tratamentos naturais que conhecíamos na época. Ingestão apenas de frutas frescas, aplicação de argila no local e banho vital. Passamos um fim de semana com muitos pontos de interrogação na mente. Na segunda-feira, a empresa entrou em contato. Eles decidiram não só manter meu esposo no plano de saúde, como também na folha de pagamento por todo o período do tratamento e da recuperação (6 meses no total) com a recomendação de o Davidson não aparecer para trabalhar! Que Deus poderoso nós temos! A Ele seja dado todo louvor!
Essa experiência foi fundamental para fortalecer a confiança na Palavra de Deus e preparar-nos para o passo seguinte: a ida para o campo. Deus se preocupou com cada detalhe de nossa mudança. Quatro meses depois do diagnóstico, após terminar os tratamentos, finalmente foi assinada a demissão. Em Sua misericórdia, Deus indicou-nos de forma inequívoca a cidade, o bairro e a casa em que deveríamos morar. A casa, no entanto, não era nada do que esperávamos. Na verdade, era como nós: precisava de vários reparos e reformas. Além disso, não havia energia elétrica e nem água. Não víamos saída, mas como na história do mar vermelho, Deus ordenou que avançássemos mais uma vez.

Pouco antes de mudarmos, recebemos a notícia de que na cidade indicada por Deus ocorreria um concurso municipal para professores e logo depois para engenheiros, nossas profissões. Deus já tinha tudo preparado, mas só nos revelou Seu plano depois de “pisarmos na água”. Havia apenas uma vaga para cada cargo. Deus mais uma vez revelou o Seu poder e cuidado. Passamos no concurso. Louvado seja o nome do nosso maravilhoso Deus que se preocupa com seres humanos pecadores como nós.

Apenas uma semana antes de trazermos nossa mudança, fomos à noite para a nossa futura casa fazer os últimos reparos e sem querer esbarramos no interruptor. Ficamos pasmos quando a luz da cozinha acendeu. Um milagre? Sem dúvida! Naquela tarde, o vizinho percebeu a dificuldade dos pedreiros em trabalhar sem energia e ofereceu-se para “emprestar” a luz de sua casa até que finalmente a companhia elétrica atendesse nosso pedido. Agradecemos a Deus por seu terno cuidado por nós.

Naquela noite, demos férias ao lampião e trabalhamos com muito mais facilidade à luz das lâmpadas. Resolvemos, pela primeira vez, testar a bomba do poço. A bomba funcionou, mas nada de água subir. O poço estava totalmente seco. Podíamos imaginar viver sem luz, mas sem água… Levamos o assunto ao Deus eterno. Afinal, Ele estava no comando. Até o dia de a mudança chegar, testamos várias vezes a bomba, mas nada de água. No dia em que o caminhão da mudança chegou, oramos como sempre para acionar a bomba. Com os ouvidos atentos, prendemos até mesmo a respiração na tentativa de distinguir o som tão almejado de água caindo na caixa acima do forro. Que Deus maravilhoso! Ele nunca nos desaponta. As Sua promessas são reais. Pela primeira vez nos emocionamos ao ouvir o som de água correndo pelo cano. Mal sabíamos que esse som nos emocionaria tantas vezes. Deus concedeu-nos água, mas na medida certa. Durante todo o período de seca, Deus proveu água estritamente suficiente para as nossas necessidades básicas. Nenhum pouco a mais, nenhum pouco a menos. O suficiente. Sempre que precisávamos de água, orávamos a Deus, acionávamos a bomba e esperávamos por aquele som maravilhoso. A água sempre vinha na medida certa, assim como o maná! Tivemos que aprender a ser muito econômicos e a não desperdiçar. Somos muito gratos a Deus por isso.

Enfrentamos várias outras dificuldades e desafios naquele lugar, mas Deus concedeu-nos forças para enfrentar cada obstáculo, muitas vezes entre lágrimas. Ali aprendemos a ser felizes com o que possuímos, a prezar pela simplicidade de vida, a observar as lições de Deus nos pequenos detalhes da natureza e a buscar a ajuda do Alto para tudo. Hoje reconhecemos que Deus escolheu aquele lugar para nos ensinar a ouvir a Sua voz e a confiar plenamente nEle. Ali aprendemos na prática que para Ele nada é impossível.

Dois anos se passaram e Deus nos colocou novamente diante de outro desafio: mudar para um sítio maior em que pudéssemos plantar nosso próprio alimento, bem mais distante da cidade e com MUITA água. O lugar dos nossos sonhos bem no alto da montanha! O desafio era que para morar ali teríamos que abrir mão de nossa estabilidade como funcionários públicos. Mais uma vez, nossa fé foi provada. Mas Deus assegurou: “Porque os Meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os Meus caminhos, diz o Senhor. Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os Meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os Meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos” (Isaías 55:8-9).

Pedimos exoneração, mas ficamos preocupados em como faríamos para obter o sustento, pois não tínhamos reservas. Um mês depois, o Davidson recebeu uma ligação da empresa em que ele trabalhava antes de mudar para o campo convidando-o para prestar serviços que ele poderia fazer em casa ou em visitas a algumas cidades. Era final de ano e eles estavam precisando “queimar” o orçamento, por isso perguntaram se ele se incomodaria em receber o valor dos serviços adiantado! Detalhe: o valor proposto seria suficiente para vivermos de maneira modesta por um ano! Quanto a mim, já costumava prestar serviços de tradução, mas recebia pedidos esporádicos. Depois dessa decisão, porém, os pedidos avolumaram de tal forma que fui obrigada a negar alguns. Que Deus maravilhoso!

Hoje moramos no Ararat com a Graziella, nossa filhinha, um presente especial do Pai. Meu esposo ainda continua prestando serviços, mas o que mais gosta de fazer é ser sitiante e empenhar-se em tornar o sítio autossustentável. Nosso sonho é viver apenas do sítio e cremos que em breve Deus nos concederá esse grande privilégio. Entendemos com a mudança que Deus queria que dependêssemos apenas dEle. Ele nos provê o trabalho e o sustento. Ele nos diz a cada dia: “Buscai primeiro o reino de Deus, e a Sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33).

No campo, aprendemos constantemente novas lições de como viver apenas pela “palavra que sai da boca de Deus” através de Seus livros: a Bíblia, a natureza e as provações presentes em nosso caminho. Aqui descobrimos o privilégio de dormir com o silêncio das montanhas e acordar cedo com o canto dos pássaros. Sentimos mais disposição e alegria para realizar as atividades cotidianas e compartilhar a palavra de Deus, pois podemos apreciar o tempo todo as belas criaturas de Deus e interagir com elas. Agora temos tempo em família, como também para falar com Deus e ouvir a Sua voz.

Temos sido levados a motivar e a ensinar pessoas que desejam viver o sonho de Deus para a humanidade aqui. Partilhamos nossas experiências em nossas pregações e através do site: www.vidacampestre.com.br. Nossas perguntas foram respondidas. Através do poder do Espírito Santo, é possível viver o estilo de vida proposto por Deus hoje. O plano de Deus não é para nos dar apenas uma vida melhor, mas para realizar uma verdadeira transformação que nos prepara para a vida futura. Os conselhos de Deus para a nossa salvação não são apenas compatíveis com a vida do cristão moderno, mas a essência da verdadeira alegria, paz e realização. Basta estar disposto a obedecê-Lo sem reservas. Você está?

Nota Vida Campestre: Para conhecer mais a respeito de nossa história, visite a coluna Vida Campestre em nosso site.

Acompanhe no Facebook

6 Comments

  • Sam

    Reply Reply 10 de janeiro de 2012

    Oi Karina!
    Que lindo seu testemunho! Já fiz várias cópias para que outras pessoas possam ler tb! Sempre passo por aqui, mas é a primeira vez que comento. Gostaria de pedir para vc não parar de escrever. Tenho muita admiração pela sua família e pela mudança que tiveram. Tb gostaria muito de morar no campo e fazer várias mudanças em minha vida. Com relação à saúde, já tenho mudado bastante, sou vegetariana há muitos anos, não como açúcar, etc. O que eu tenho achado bem difícil é a mudança em relação ao vestuário. Gosto de me vestir decentemente, mas acho que ainda não é o suficiente. Se possível gostaria que vc escrevesse mais sobre este assunto. Tb já vi os vídeos, ótima ideia viu? Gostei bastante! Um grande beijo.

    • Vida Campestre

      Reply Reply 13 de janeiro de 2012

      Olá, Sam!

      Muito obrigada por seu comentário. É sempre muito bom "ouvir" palavras carinhosa como as suas! Que legal que você é vegetariana e cuida de sua saúde. Esse passo é fundamental para as demais reformas que você sente o desejo de realizar. Quanto ao vestuário, estou preparando um artigo sobre isso e pretendo colocar no site em breve. Que legal que você gostou dos vídeos. Nosso desejo é que esses testemunhos motivem outras pessoas a praticarem a vontade de Deus em sua vida e a buscarem um relacionamento mais íntimo com Ele.
      Espero "ouvir" de você mais vezes.
      Um beijo,
      Karina

  • Flora Andrade

    Reply Reply 28 de fevereiro de 2013

    Oi Karina Que história. Meu esposo, eu e nosso lindo Benicio estamos vivendo no campo há um ano. Mudamos quando ainda estava grávida. Lendo teu relato foi como reviver cada provação que passamos…olha, sei que tenho muito a aprender ainda e para nós o grande desafio é como se sustentar. Estamos nos mexendo e sei que Deus proverá, pois assim tem feito. Tenho muitas lutas ainda e teu testemunho me fortaleceu. Fiquem com Deus. Abraços.

  • Raquel frança

    Reply Reply 31 de julho de 2013

    Olá, eu acredito que foi providência divina que eu me deparasse com este site, nesta manhã eu pedi para Deus que não desistisse de minha familia , pois , uns anos atrás eu e meu esposo tomamos a decisão de sairmos da cidade, até que tentamos, fomos até para o Mato grosso, mas não deu certo e acabamos voltando para SP, e como eu havia dito nesta manhã eu pedi para Deus que me ajudasse a sair daqui e em meio ao choro eu orei, e depois fui para o computador e sem procurar algo sobre o assunto , acabei encontrando este site, foi muito bom, peço que vcs possam orar por nós. Deus os abençoe. fiquem com Deus.

  • Anônimo

    Reply Reply 6 de abril de 2014

    Também sou adventista do sétimo dia, vegetariana, e sonho em ir para o campo. Este sonho meu e de minha família (mae e irmãos) tem sido acalentado por vários anos. E agora, neste ano, com a benção de Deus, depois de muitas lutas, eu e meu irmão que ainda somos solteiros, conseguimos juntos comprar uma pequena propriedade de um alqueire e meio, para grande felicidade de minha mãe! É o inicio de uma vitória!

Leave A Response

* Denotes Required Field