Perigo no Abuso de Aditivos Alimentares

Evite os riscos dos aditivos alimentaresOs alimentos industrializados estão abusando da quantidade de aditivos, o que pode provocar inúmeros problemas de saúde – principalmente em crianças. A PROTESTE fez essa constatação ao longo de seus testes comparativos com alimentos e percebeu a necessidade de alertar a sociedade.Os aditivos para alimentos são substâncias não-nutritivas que melhoram a aparência, sabor, textura e o tempo de armazenamento de alimentos. Entre os males relacionados ao excesso de consumo, estão alergia, hiperatividade e câncer. Confira agora o material especial que preparamos sobre os aditivos para alimentos e saiba o que você está consumindo quando ingere um produto industrializado. Imprima ainda um guia de aditivos para ajudar nas suas compras de supermercado.Crianças, idosos e gestantes são vulneráveisO risco dos aditivos à saúde é comprovado por uma série de estudos científicos. Os três principais males associados ao consumo excessivo de algumas dessas substâncias são:

  • Câncer
  • Hipersensibilidade alimentar
  • Déficit de atenção com hiperatividade

Há públicos que são ainda mais vulneráveis ao consumo dos aditivos. É o caso de gestantes, idosos, pessoas que têm alimentação pouco variada e, principalmente, crianças menores de três anos.Crianças não estão prontas para aditivosO maior problema com a criançada é que os sistemas digestivo e urinário ainda não estão totalmente preparados para processar uma alimentação que traga aditivos. Na saúde infantil, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação e a Organização Mundial de Saúde recomendam que não sejam utilizados aditivos em produtos alimentares destinados a crianças menores de um ano.Apesar disso, é importante ressaltar que há vários produtos no mercado para crianças menores de um ano que contêm aditivos, como iogurtes, gelatinas, refrigerantes, biscoitos, balas, dentre outros que são consumidos pelas crianças.O que você pode fazerQuanto mais industrializado o produto, mais aditivos químicos ele terá. Por isso, o ideal é que você prepare os produtos frescos em casa. Como isso nem sempre é possível, veja nossas dicas para diminuir o consumo de aditivos:

  • Leia o rótulo e escolha os produtos com menos aditivos. Esta informação está na lista de ingredientes, que é apresentada em ordem decrescente de concentração no produto.
  • Prefira alimentos simples, menos industrializados e procure prepará-los em vez de utilizar produtos produzidos industrialmente.
  • Consuma embutidos com moderação e esporadicamente.
  • Não coma alimentos fortemente aromatizados e reaprenda a apreciar o sabor dos alimentos simples.
  • Evite produtos com cores muito vivas, que revelam a presença de corantes.
  • Não abuse dos edulcorantes (adoçantes).
  • Leve nossa lista de aditivos às compras para saber quais os principais aditivos que devem ser evitados e quais podem causar reações alérgicas.

PROTESTE ReivindicaFrase de alerta para produtos com aditivosComo o uso abusivo dos aditivos é perigoso, especialmente para crianças, a PROTESTE reivindica que a mensagem “o consumo pode acarretar efeitos adversos na atenção e concentração da criança” seja incluída em produtos que contenham os seguintes aditivos:

  • Amarelo crepúsculo
  • Amarelo quinoleína
  • Carmosina (azorrubina)
  • Vermelho allura (vermelho 40)
  • Tartrazina
  • Ponceau 4 R
  • Benzoato de sódio

As normas acima valem, por exemplo, em países europeus. Lá, os fabricantes já estão alterando seus produtos para evitarem a inclusão da frase de advertência. No Brasil, entretanto, esses aditivos ainda são amplamente utilizados, inclusive em produtos específicos para crianças.Fonte: Proteste

Acompanhe no Facebook

Leave A Response

* Denotes Required Field