segunda-feira, 27 de julho de 2015

Aniversário de um ano 100% vegano

Bruno, Caio e Tássia
Para comemorar o primeiro ano do pequeno Caio, os pais, Bruno e Tássia, decidiram fazer uma festinha para os familiares e amigos que fosse simples, mas ao mesmo tempo de muito bom gosto e que estivesse de acordo com os princípios de saúde que eles adotaram, isto é, que fosse 100% vegana.

No dia anterior à festinha, eles estavam aqui no sítio e ainda estavam pensando no que fariam. Confesso que fiquei super impressionada com a criatividade e agilidade desse casal, que teve pouco tempo para preparar com capricho uma festinha tão graciosa como esta!

O cardápio ficou assim:

Bolo de melancia
Pipoca - feita na pipoqueira elétrica

Amendoim
 

Creme de manga com coco
- receita aqui. Servido em tacinhas.

Salada de frutas - com banana, manga, maçã, mamão e uva. Em vez do tradicional suco de laranja, eles acrescentaram o que restou  do creme de manga. A inovação foi super aprovada pelos convidados!

Bolo de melancia - decorado com kiwi, morango e uva. Eles aproveitaram a casca para esculpir o número 1 para substituir a tradicional vela. Não ficou lindo?

Bolo 100% integral - receita aqui. Recheado com creme de caju (receita abaixo) e morangos. Hummmm!

Lanchinho - receita abaixo. Só de ler dá fome!

Docinhos de tapioca - receita secreta da vovó do Caio. Uma hora a gente consegue descobrir!

Bebidas - suco naturais de laranja e melancia.
Os lanchinhos foram servidos em
embalagens individuais

O lanchinho foi montado assim:
  • Pão 100% integral - receita aqui
  • Maionese de soja sem ovo - receita aqui
  • Alface
  • Tomate
  • Hambúrguer de castanha e aveia - receita abaixo

Hambúrguer de castanha e aveia

Ingredientes:
  • 2 xícaras de aveia
  • 1/2 xícara de castanha do pará picada
  • 1/3 xícara de salsinha picada
  • 2 xícaras de água
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 1/4 de xícara de molho de soja (sem glutamato)
  • 1/2 colher de sopa de orégano
  • 1/2 cebola picada
  • 2 dentes de alho picado
Modo de fazer:
Misture a aveia, a castanha e a salsinha. Reserve. Em uma panela, coloque a água e os demais ingredientes. Aqueça até levantar fervura e acrescente a aveia. Desligue o fogo e misture bem. Aguarde aproximadamente 5 minutos para a aveia hidratar e esfriar. Quando a massa estiver consistente, faças os hambúrgueres e leve ao forno para assar.

O bolo foi recheado assim:
O bolo ficou tão gostoso que
nem deu tempo de registrar,
mas ele foi inspirado nesta foto.

Creme de castanha de caju

Ingredientes:
  • 2 xícaras de castanha de caju deixada de molho por pelo menos 2 horas
  • 1/4 xícara de mel
  • Fava de baunilha
  • Pitada de sal
  • 1/4 xícara de água (ajustar de acordo com a consistência desejada)
Modo de fazer:
Misture os ingredientes em um misturador de alta velocidade até ficar homogêneo. Despeje sobre a massa e enfeite com morangos.


Lembrancinha e decoração
Lembrancinha e decoração:

A lembrancinha foi bem criativa, bonita e, claro, saudável. Melzinhos formando um pirulito com a foto do Caio no centro e a data do aniversário. Uma graça!

A decoração foi feita com bexigas azuis, bandeirinhas de cartolina em tons de azul, amarelo e bege presas com fita de cetim. Para enfeita a mesa, algumas garrafinhas de vidro com corações feito de papel e canudos coloridos, além dos pratinhos e copinhos coloridos. Tudo de muito bom gosto!

Parabéns Caio por seu primeiro ano de vida!
Parabéns Bruno e Tássia pela festinha!

terça-feira, 21 de julho de 2015

Vídeo: A mulher é o termômetro do lar

A mulher é o termômetro do lar e tem em suas mãos o poder de influenciar toda a família. No vídeo a seguir compartilho um pouco mais a respeito dessa lição tão importante que aprendi em minha experiência como mãe e dona de casa, como também algumas dicas práticas para não perder o foco da maior missão de toda mãe: a educação de seus filhos. 

Esse testemunho foi gravado especialmente para o canal do Youtube "Guardiãs do Lar". Vale a pena assistir também aos outros testemunhos encontrados no canal. São inspiradores!


Por Karina Carnassale Deana
Mãe aprendiz da Graziella (3 anos)

domingo, 12 de julho de 2015

Macarrão com limão e ervas

Hoje testamos e aprovamos o macarrão com limão e ervas. É uma receita super fácil, rápida e muito apetitosa. 

Essa receita foi criada por Laura Vitale, que mostra o passo a passo no vídeo abaixo (em inglês). Apesar de o vídeo estar em outro idioma, dá para acompanhar tranquilamente o processo de preparo. 

Mas para quem não quer praticar o inglês, a seguir você encontra a receita traduzida. Entre colchetes estão as pequenas modificações que fizemos para adaptar ao nosso paladar aqui em casa:

Macarrão com limão e ervas

Ingredientes:

  • 500 gr de macarrão [usamos espaguete integral da marca Barilla, mas pode ser qualquer um, inclusive macarrão de arroz, milho, etc.]
  • Uma porção generosa de salsinha, tomilho e orégano frescos [usamos cebolinha, orégano, manjericão e alecrim]
  • Suco de 1 limão grande [usamos o limão galego]
  • Rapas de limão a gosto
  • 1/2 xícara de azeite [usamos bem menos e da próxima vez substituiremos o azeite por azeitonas trituradas]
  • 1 dente de alho cru [no lugar do alho, colocamos 1 colher de sopa cheia de levedo de cerveja em pó]

Modo de fazer:
Cozinhar o macarrão já com sal. Em um processador, triturar as ervas e o dente de alho cuidando para não virar uma pasta. Se não tiver processador, picar bem miudinho. Misturar os temperos triturados com o azeite, o suco de limão e as rapas. Escorrer a água do cozimento do macarrão e acrescentar o tempero.
Para incrementar um pouco, acrescentamos por nossa conta amêndoas trituradas levemente torradas. Ficou muuuito bom!



Bom apetite!

Por Karina Carnassale Deana - Saúde Total

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Vídeo: De volta ao Éden - método de plantio orgânico simples e sustentável

Mesmo depois de nove anos no campo, meu esposo e eu ainda nos consideramos "caipiras da cidade". Chegamos aqui com experiência zero em plantio e vida rural. Quem já leu o nosso relato de mudança da cidade para o campo sabe do que estou falando!

Desde então, temos estudado cada vez mais a respeito do método de cultivo de Deus e visto que ele não tem nada, absolutamente nada, a ver com os métodos humanos, mesmo os considerados mais naturais. Como em todos os aspectos da vida, o método de Deus para o cultivo é revolucionário e superior a tudo que existe nesse mundo, afinal, Ele é o Jardineiro mestre.

Passamos por um longo processo até nos desvencilhar dos complexos conceitos de plantio humanos (incluindo o método orgânico tradicional) e aprender o caminho de volta ao método simples e sustentável que Deus deu ao homem no princípio. Ainda temos muito a aprender, afinal, simplificar é uma arte a ser aprendida, mas estamos muito gratos a Deus pelo que Ele bondosamente nos ensinou até aqui. 

Esses dias, estudando sobre esse tema, deparamo-nos com um documentário muito interessante que narra a história da longa jornada de Paul Gautschi, um homem que em Deus buscou aprender o caminho de volta ao método simples, produtivo e sustentável que Deus instituiu no Éden. Neste documentário percebemos o quanto Deus nos guiou até aqui e recebemos também de presente algumas orientações que nos faltavam para simplificar ainda mais. Louvado seja Ele!

O documentário (em inglês) ainda não foi traduzido para o português, mas aqui você encontra a versão legendada em espanhol. Não perca!

Por Karina Carnassale Deana - Vida Campestre

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Quando Jesus ilustra a graça de Deus para um marido...

Chegada do Benício:
 uma preciosa lição sobre a graça de Deus
Há alguns meses, minha esposa e eu discutíamos acerca de uma importante decisão a ser tomada em nosso lar. Essa decisão traria implicações sérias para nossa vida, pois afetaria todos nossos projetos e sonhos. Ao passo que seguíamos com nossas obrigações diárias, a pergunta não se calava em nossa mente: Vamos adquirir um gato ou um cachorro?

Após inúmeras discussões com sérias argumentações para ambos os lados, percebemos que estávamos tratando de um assunto que afetaria todo nosso futuro, e para isso nada melhor do que contatar o Senhor conhecedor do futuro. Colocamo-nos em oração pedindo a Jesus que nos orientasse, pois não queríamos tomar uma decisão precipitada. A velocidade da resposta foi quase tão surpreendente quanto a própria resposta. Deus escolheu uma terceira opção: um filho.

Deu-se então início a um processo de aprendizagem que a princípio imaginei ser apenas acerca de partos e educação de crianças, mas que ao término provou ser muito mais profundo.

Em Sua infinita misericórdia tivemos exatas 39 semanas e 6 dias para uma preparação de corpo e mente para o que estava por vir. Livros e mais livros, matérias e mais matérias, vídeos no YouTube, noites difíceis de dormir por conta de dores nas costas, dores nas pernas. Tudo graças a um peso extra que, mesmo que não estivesse em mim, me fazia sacrificar, como fazia a minha esposa. Afinal, eu até acordei algumas dessas noites com ela. Não seria isso o suficiente para partilhar do sacrifício de ser mãe? 
No dia 24 de junho de 2015 o embrulho então começou a se abrir quando às 02h00 eu acordei com a frase: “Má, a bolsa rompeu”. Fui tomado por uma rápida sensação de euforia e adrenalina despertando em meus pensamentos todos os sonhos construídos no decorrer desses 9 meses de preparo. Pensei no meu lindo filhinho dando seus primeiros passos em minha direção com os bracinhos abertos e dizendo: “paaapai”.


Logo fui interrompido por um tom de voz conhecido. Um gemer de dor que me causou estranheza. A dor das contrações iniciais despertaram em mim alguns questionamentos como: “Ok, como eu participo disso?”. Ao ver a minha jóia mais preciosa se contorcer de dor, ao ver naqueles olhos o desespero do que estava por vir, ao ver toda aquela equipe maravilhosa trabalhando em favor de nós dois para que em breve nos tornássemos três, eu me questionava: “Tá, como é que eu participo disso?”. Jesus começou a desembrulhar o presente e me revelar o que de fato é a graça. Não é algo barato. Não é algo que você recebe por merecer.

Tivemos 33 horas de trabalho de parto, sendo desses 24 horas de trabalho de parto ativo. Reconheço toda segurança emocional que recai sobre o marido e vivi na pele o importante papel que o marido deve desempenhar em um parto domiciliar. Mas nunca se comparará ao trabalho que as guerreiras mães desempenham. À medida que eu via o esforço de minha esposa para receber a dor para que houvesse ali uma nova vida, eu enxergava Jesus dando-me a graça através do sofrimento que não recaiu sobre mim.

O presente foi então completamente aberto às 10h58 do dia 25 de junho, pesando 3,150 Kg e 50 cm de comprimento. Lá estava ele, o resultado de um esforço que fora feito fora de mim. Um presente que recebi com muito carinho e gratidão a Jesus e à minha amada esposa, que escolheu se submeter ao poder e às forças de Deus para presentear toda nossa família.


No vídeo a seguir, minha esposa e eu compartilhamos com você um pouquinho da grande alegria que Deus graciosamente nos concedeu:



Por Magno Deiró
Pai aprendiz do Benício (1 semana)

sexta-feira, 12 de junho de 2015

O perfume do caráter de Cristo

Graças, porém, a Deus, que, em Cristo, sempre nos conduz em triunfo e, por meio de nós, manifesta em todo lugar a fragrância do seu conhecimento. 2 Coríntios 2:14.


Não há esperança para o êxito de qualquer organização religiosa em que a crítica seja acatada como uma fina arte e chamada de discernimento espiritual. Os homens poderiam bem ser cegos às faltas alheias em vez de inspirados pelo espírito perspicaz e pesquisador que se concentra em achar defeitos naqueles a quem o Senhor ama e mediante os quais opera. Todos carecemos de humilhar-nos, e não ter uma idéia exaltada do eu.


O maior sofrimento do coração que já suportei foi causado pelo desejo de amor e unidade entre os irmãos. Em palavra, espírito e vida devemos manifestar Cristo, não as idéias peculiares e noções do eu. Por essas idéias muitos foram prejudicados e embaraçados durante toda a vida e nunca souberam qual era a fonte do problema. ... 


Perdei de vista tudo o mais, exceto Cristo. Desejamos a Cristo em nossa humanidade, e Cristo deseja habitar em nós. Somos humanos e falíveis, cada um de nós, e a menos que Cristo seja formado no íntimo, a esperança de glória, cometeremos grandes equívocos em avaliar nossos colegas obreiros segundo nosso padrão e medida. Deus vê abaixo da superfície. Ele vê todo o bem, e anota todo o mal. Deixai para Ele a tarefa de atribuir julgamento aos vossos irmãos.


Tende um cuidado pelos jovens que estão agora formando o caráter. Dialogai com eles e ajudai-os no que puderdes fazer. Que ninguém eduque os moços e moças na ciência de apanhar faltas. Não permitais que a juventude vos apanhe encontrando faltas naqueles que não são de vossa simpatia. Os jovens são servos de Cristo que devem ser bem cuidados, encorajados no bem, na pureza e em santos pensamentos. Não carecem de lições sobre más-suspeitas. Satanás está pronto para instruí-los nessa linha. Ensinai-os a ser bondosos, respeitar e amar uns aos outros. ...


Mantende o perfume do caráter de Cristo em vossas próprias palavras e ações. Fazei com que os queixumes e lamúrias cessem definitivamente. Então os raios do sol da justiça de Cristo fluirão para vossos corações. Deus vos abençoará e vos fará uma bênção. ... 


É o caráter, não o terdes o nome nos livros da igreja, que vos torna cristãos. Que manifestações se darão quando Cristo, habitando no coração, for refletindo nas faces daqueles que O amam e guardam Seus mandamentos. ... O homem é transformado na imagem de Cristo. Um mundano pode passar e não ver a mudança, mas aqueles que tiveram comunhão com Cristo discernirão a expressão de Cristo em palavra, em espírito.

Por Ellen G. White

Fonte: Meditação Matinal Olhando para o Alto, 14 de janeiro, p. 17. Grifo nosso.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Estudo Advento - Participe!

Minha família e colegas participantes (azul) 
e equipe profissional (branco)
O Estudo Advento é uma pesquisa científica pioneira realizada pela USP (Universidade de São Paulo) que tem como objetivo analisar o estilo de vida dos adventistas do sétimo dia com idades entre 35 a 74 anos e compará-lo com o de uma população não pertencente à Igreja.

Os participantes realizam de forma gratuita uma bateria de exames médicos estimados em doze mil reais e os resultados ajudarão essa importante pesquisa a correlacionar o estilo de vida ao aparecimento de doenças crônicas que acometem a população adulta, principalmente as doenças cardiovasculares e o diabetes. 

Esse estudo começou em 2013 e terminará este ano. Minha família e eu tivemos o privilégio de conhecer e participar da pesquisa. Fomos muito bem recebidos e atendidos pela equipe. Até mesmo minha filha (3 anos) ficou muito contente em participar do projeto como acompanhante!

Estendo a você o convite para colaborar com esse importante projeto. A pesquisa já está caminhando para sua fase final e segundo o coordenador geral, Dr. Everton Padilla Gomes, a maior necessidade atual é de participantes ovolactovegetarianos, vegetarianos e veganos. Para obter mais informações, acesse o site oficial do estudo clicando aqui.

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Cantinho de oração - faz a diferença!

O cantinho ou câmara de oração é algo conhecido e praticado em algumas famílias. No entanto, pessoalmente, sempre pensei que não fosse necessário um cantinho específico para orar, mas que a oração poderia ocorrer em qualquer local. Isso é verdade. A oração pode e deve ocorrer sempre que necessário, não importa onde estejamos. Mas depois de ouvir o lindo testemunho a respeito de como um local e horários específicos para oração ajudaram uma mãe a criar nada mais, nada menos que 34 filhos, decidi criar um aqui em casa também - e que diferença tem feito! 

Como eu, algumas amigas também decidiram criar esse espaço em seus lares e estabelecer uma rotina saudável de oração entre os membros da família. A seguir, compartilho com você o que fizemos:



Câmara de oração da família Riges
Luciana Riges, mãe do Logan (8), Larissa (6) e Lance (5 meses), foi a primeira entre nós a tomar a iniciativa de criar uma câmara de oração em seu lar depois de ler o testemunho.

Inspirada, ela deixou de fazer algumas atividades domésticas para se dedicar a organizar esse espaço em um único dia. Fez uma escala de oração de forma que cada membro da família tivesse quatro horários específicos para orar ao longo do dia e assim deixar a câmara em atividade de hora em hora.


No horário marcado, ela chama a criança responsável para orar. A criança ora e depois pode escolher ler com ela um verso bíblico, ou escutar um hino ou pintar um desenho no papel ou no quadro branco. O primeiro horário é às 7h30 e os membros da família (total 4, sem contar o bebê) vão se intercalando até o último horário, às 18h30. Como as crianças ainda são pequenas, o tempo que passam na câmara de oração é de aproximadamente 5 minutos.


Segundo ela, essa rotina de oração na câmara tem feito muita diferença no comportamento das crianças. Elas passaram a compartilhar melhor, a brincar juntas sem discussões e a ficarem mais contentes. Quando em viagem, a rotina permanece. Eles buscam a Deus onde estão e elevam uma oração.



Câmara de oração da família Deana
Eu também fiquei muito impressionada com o testemunho da senhora que educou 34 filhos e com sua experiência com a câmara de oração, mas fiquei sem saber como fazer isso, já que aqui em casa somos em 3 (na prática 2, pois o esposo geralmente está envolvido em atividades externas durante o dia) e não visualizava um espaço para montar uma câmara. Mas com o testemunho da Luciana, me animei a buscar uma solução.

Lembrei-me de um espaço em desuso que foi criado para ser um futuro armário. Com a ajuda de Deus, minha filha e eu organizamos esse espaço em uma aconchegante câmara de oração.


Estabeleci alguns horários fixos para orarmos ali e já estamos seguindo essa rotina de oração há 3 semanas. Como durante o dia somos apenas minha filha e eu, e ela ainda precisa de acompanhamento, vamos à câmara juntas 3 vezes ao dia. A primeira logo quando ela acorda, para fazer a devoção pessoal. Depois um pouco antes das atividades externas para orar por alguém e por pedidos especiais e depois à noite, antes de dormir. Além disso, meu esposo e eu temos horários de oração particular, não necessariamente na câmara.

Como minha filha ainda é pequena, as orações são breves. Assim, desenvolvemos algumas atividades logo após o período de oração, porém, também breves, de modo que permanecemos na câmara por volta de 10 minutos. São elas:
Graziella fazendo sua
devoção pessoal

Primeira visita: Devoção pessoal - Oração + ouvir um dos CDs desta série acompanhando no livro (fazemos um CD por semana) + oração final por pedidos especiais e poder para obedecer.

Segunda visita: Oração intercessora - sorteamos um nome e oramos pela pessoa sorteada. Oramos e em seguida confeccionamos um cartão ou gravamos uma mensagem para enviar ao sorteado.

Terceira visita: Encerramento do dia - Oramos. Avaliamos o dia verbalmente (o que foi bom e o que não foi). Minha filha ganha um adesivo para colocar no painel em formato de coração como incentivo pelo dia positivo que teve.

No primeiro dia na câmara, escrevemos em um papel as qualidades que desejamos conquistar com Jesus, colamos na parede e desde então temos orado especificamente por elas. 

Desde que iniciamos esse programa, temos experimentado grandes e significativos progressos. É claro que não oramos somente essas vezes. A oração faz parte do nosso dia e buscamos a Deus toda vez que necessitamos de poder para vencer a tentação, de Sua ajuda ou para agradecê-Lo pelo cuidado e bênçãos, mas na câmara somente essas vezes. Tem sido uma experiência muito gratificante e realmente faz a diferença!


Bianca orando junto
à janela, como Daniel.
Como a Luciana e eu, Adriana Teixeira, mãe da Bianca (2 anos), também se animou para criar um cantinho de oração em sua casa. Inspirada na história bíblica de Daniel, ela decidiu montar o cantinho de oração próximo à janela. Ela decorou o espaço com duas figuras de crianças orando, que adquiriu aqui, colocou um tapetinho especial para oração e uma mesinha com Bíblia, lição da Escola Sabatina e um porta-retrato que a cada semana receberá fotos de pessoas diferentes em favor de quem a família orará.


Depois de ler os relatos acima, Evelin Vieira, mãe do Nathan (12 meses), passou vários dias pensando onde poderia criar o cantinho da oração dentro de sua casa. Ela pensou em fazer num cantinho em seu próprio quarto, mas depois pensou que não ia adiantar, pois iria acabar se distraindo com as coisas por fazer... 

Câmara de oração da família Vieira
Além do lugar costumeiro de orar e meditar ao ar livre, ela imaginou que seria muito bom ter um cantinho para estudar, orar e cantar abrigado do frio e da chuva. Foi então que Jesus a lembrou de um banheiro que não estava sendo usado. Ela tirou os apetrechos do banheiro e fez ali um cantinho especial de oração - e sabe que ficou bem interessante?! Na parede, ela colocou duas gravuras inspiradoras de Jesus, um verso bíblico para memorizar e uma lista de nomes para oração intercessora. Colocou também uma caixinha com fotos das pessoas pelas quais a família pretende orar e para sortear diariamente com filho pequeno. Quanto aos horários, ela decidiu adotar a mesma rotina que a Grazi e eu: 3 visitas breves ao dia.

Nosso desejo é que com esses testemunhos você também se anime a criar um lugar especial no tempo e no espaço para a oração em seu lar. Sem dúvida, essa é uma maneira poderosa de ensinar na prática aos filhos que a oração é muito importante e deve ter destaque na vida do cristão. Muita oração, muito poder!

E se você precisar de mais sugestões de como fazer isso, há alguns anos o Projeto Restaure produziu um vídeo (abaixo) com várias sugestões para estabelecer desde a infância hábitos de oração e estudo da Bíblia. Esse projeto também oferece alguns materiais interessantes para serem usados nesses momentos. Clique aqui para conhecer.


Por Karina Carnassale Deana
Mãe aprendiz da Graziella (3 anos)

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Testemunho: 34 filhos!


Há algum tempo, algumas amigas e eu tivemos uma conversa sobre as vantagens e desvantagens de se ter um segundo filho. Eu tenho apenas uma filha e confesso que algumas vezes me peguei preocupada com essa questão e tudo que a envolve. Mas depois de ouvir o testemunho de uma querida irmã, assumi minha condição de "minhoca no asfalto quente" (explicarei abaixo) e decidi deixar essa e outras questões estritamente nas mãos de Deus. Com o testemunho dela, percebi a pequenez da minha fé e o quanto ainda tenho a aprender sobre confiança em Deus.

Tive o privilégio de receber em minha casa a visita de uma senhora que criou e educou nada mais nada menos do que 34 filhos! Uau! Só o fato de ela estar viva já foi surpreendente para mim, então é claro que no pouco tempo que tivemos juntas quis absorver tudo que ela tinha a me ensinar...

Essa senhora disse que quando mais jovem era uma exímia professora. Sua classe de 45 alunos era super bem comandada por ela e todos a elogiavam muito pela ordem e pelo comportamento da turma. Não demorou muito e ela recebeu o chamado para dirigir um orfanato junto com o esposo e o filho único. Ela deixou a casa recém reformada e foi morar num casarão velho para cuidar de 12 crianças. Como ela era uma professora muito bem conceituada, logo pensou que seria muito fácil controlar 12 crianças, mas logo nas primeiras semanas ela percebeu a situação tenebrosa em que tinha se metido. Desesperada, saiu para o quintal em prantos, brigando com Deus por ter enviado esse chamado para ela. A vontade dela mesmo era morrer de desespero. Sumir do mapa. Largar tudo. No meio dessa briga com Deus, que ocorreu num dia de muito calor, ela ouviu uma voz muito nítida em sua mente que disse: "Filha, você é uma minhoca no asfalto quente!". Ainda mais desesperada com essa revelação, ela imaginou estar ouvindo o inimigo. A voz repetiu essa mesma frase algumas vezes e ela pensou: "Mas minhoca no asfalto quente MORRE!". A impressão prosseguiu: "Isso mesmo, sozinha você vai morrer". Nesse momento, ela se deu conta de que tinha aceitado o chamado se apoiando em seu conhecimento, em sua fama de boa professora e em suas forças - de que nada mais eram do que forças de uma minhoca para sair de um asfalto quente! A voz em sua mente deu instruções muito claras: "Quebre o banheiro principal do casarão e transforme em uma câmara de oração. Coloque ali Bíblias, hinários e livros do Espírito de Profecia. Organize a casa de tal forma que ali se revezem duplas durante o dia inteiro". 

A impressão foi tão forte que essa senhora entrou no casarão com o objetivo de quebrar o banheiro imediatamente. O marido estava pronto para reformar o banheiro, que estava em péssimas condições, pois o outro banheiro era bem pequeno para tanta gente. Quando viu a esposa pegar o martelo e começar a quebrar o vaso sanitário, ele levou um susto. Ela nem quis saber, continuou o quebra-quebra. Sem opção, ele começou a ajudar. Quebraram tudo e transformaram em uma câmara de oração. Ela fez uma escala para as crianças e eles se revezarem ali durante o dia em duplas. A minhoca no asfalto entregou o controle para Deus...

Perguntei à essa irmã como ela fez para lidar com os traços de caráter dessas crianças cuja influência pré-natal e também posterior eram tão negativas. Ela me explicou que tudo era colocado no altar de oração, tudo se resolvia na câmara de oração com Deus. Obviamente, esse lar tinha regras e seguia os princípios da educação cristã, mas ela me explicou que colocar os princípios de Deus em prática sem oração é o mesmo que remar sem sair do lugar. A paz reinou entre eles. Ela NUNCA mais teve problemas de comportamento. Notem a palavra: NUNCA!

Poucos meses mais tarde, os financiadores do orfanato decidiram fechar o lugar e enviar as crianças para abrigos do estado. O casal ficou chocado. Como poderiam deixar essas 12 crianças irem para mãos não cristãs? O casal de origem simples e sem recursos decidiu assumir as 12 crianças por sua própria conta e risco. Pela fé, assumiram os 12 como filhos. Eles decidiram que não pediriam ajuda ou doações a ninguém para que ninguém os acusasse de assumir as crianças para obter vantagens. A partir de então houve uma sucessão de milagres extraordinários que só de lembrar os detalhes faz meus olhos encherem de água. Deus se preocupou com cada detalhe, cada necessidade, cada anseio, cada desejo, mesmo infantil, dessa família e mais... não parou de acrescentar filhos! Não é porque estavam sem ajuda financeira que fechariam as portas de seu lar. Cada um que aparecia, eles acolhiam. Eles chegaram ao número de 34! E todos foram criados e educados nos caminhos de Deus. Todos foram sustentados e amparados pelo Senhor e por esse casal que os têm como verdadeiros filhos. Gostaria de relatar aqui os milhares de milagres que essa grande família experimentou, mas a maior lição é: Deus é Deus. Com Ele tudo podemos, não temos nada a temer e podemos confiar em Suas providências e sabedoria - até mesmo para criar 34 filhos de origem mais negativa aos olhos humanos e cooperar com Ele para transformá-los por Seu amor.

Ao final desse incrível testemunho, perguntei à irmã se ela faria tudo de novo se pudesse voltar ao passado. Ela respondeu: "Sim, só que teria mais filhos! Se pudesse voltar ao passado, gostaria de ter 200!" 

Que possamos hoje reconhecer a nossa condição de "minhoca no asfalto quente" e entregar o controle de toda a nossa vida nas mãos de Deus!

Por Karina Carnassale Deana
Mãe aprendiz da Graziella (3 anos).

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Dicas para comprar uma propriedade rural: Documentação e negociação

Depois de um trabalhoso e necessário caminho chegamos à última fase – documentação e negociação. Esse é o momento mais importante de todos. Uma falha crítica nessa hora pode anular todo o investimento feito para chegar a este ponto, ou o pior, você pode ficar sem seu dinheiro e sem a propriedade.

Em primeiro lugar: não antecipe qualquer valor, nem um pequeno sinal, sem ter certeza da exatidão da documentação. Recomendo que você peça ao vendedor para fazer a proposta de venda por escrito, especificando o objeto da venda, valor e condições, anexando uma cópia da certidão de matrícula do imóvel (pode ser obtida no Cartório de Registro de Imóveis da região e custa barato). Nessa certidão pode ser verificado quem é o proprietário, localização do imóvel, área e se há algum impedimento para a venda. Esse documento é o mínimo para se fazer uma proposta, que deve ser também por escrito, com prazo de validade, e condicionando a que toda documentação esteja correta. Se for de seu interesse é hora de colocar algum carro ou imóvel no negócio (se o vendedor for uma pessoa simples, de inequívoca probidade, melhor fazer a negociação na palavra e você mesmo tirar a certidão de matrícula).

Muitas propriedades têm uma área no papel e outra de fato. Em geral, decorrente de processos arcaicos de medição usados no passado. Certamente você precisa saber qual é área real que está comprando. Então compensa pagar pelo serviço de um agrimensor ou fazer constar na sua proposta a divisão desse valor com o vendedor ou ainda repassar para ele essa despesa. Tudo vai depender da negociação. Pode também ocorrer que o vendedor já tenha feito uma mediação oficial, então, basta confirmar a confiabilidade do documento apresentado.

Há maneiras de corrigir essa possível divergência. No entanto, envolve custos, tempo e provavelmente anuência de todos os proprietários de terras confrontantes. Mas não desanime, uma propriedade escriturada, registrada e com toda documentação em ordem tem mais valor. Você pode encontrar a documentação necessária clicando aqui.

Um oficial do cartório de notas e/ou do cartório de registro de imóveis também pode ajudar você e o vendedor nessas questões. Mesmo assim, se você não se sentir seguro, contrate um advogado de confiança para assessorá-lo.

Depois de todos os documentos e certidões cuidadosamente verificados chegou a hora de receber a escritura e pagar. Recomendo que o pagamento seja feito no cartório, no momento da escritura, através de cheque visado e que conste na escritura a discriminação do cheque. Se há trocas envolvidas (carros ou imóveis) é nessa hora que devem ser feitas todas as transações. Lembrando que é permitido passar a escritura de um imóvel em qualquer cartório do país (não precisa ser no cartório do local onde está a propriedade). Diferentemente, o registro só pode ser feito no cartório de registro de imóveis da localidade onde está a propriedade.

Chegamos ao final da série, espero que tenha sido útil. Aproveito para repetir minha primeira recomendação: muita oração, pois cremos que o Senhor dirige a vida daqueles que confiam nEle inteiramente e se submetem à Sua vontade.

Para acessar o primeiro artigo desta série, clique aqui.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...